sábado, 16 de novembro de 2019

Playtime's Over (2019)

.
Playtime's Over de Tony Reames (EUA) é uma das curtas-metragens seleccionadas para a décima edição do Buried Alive Film Festival a decorrer em Atlanta.
Dee (Evan Reames) é uma jovem menina apaixonada pelo cinema de terror. Mas com uma paixão ainda maior pelos sustos que poderá provocar às suas babysitters.
Todd Jacobs e Haley Leary assinam o argumento desta curta-metragem de suspense que mistura um pouco de filme juvenil com a esperada incerteza de um filme de terror que surpreende pela sua imprevisibilidade. Em Playtime's Over encontramos aquele elemento de cinema dentro de um filme de cinema que junto pequenas referências de inúmeras obras do género - assim prestando a sua homenagem e dando luz às diversas referências que "educaram" o seu realizador - permitindo construir uma obra que brilha não só pelo susto que se espera a cada segmento como, ao mesmo tempo, brinda com aquele humor incerto pela incerteza do que esperar ao virar de cada cena.
Desde alguém que toca à campaínha no mais inesperado dos momentos às máscaras assustadoras, das referências a Psicho (1960), de Alfred Hitchcock ou a Carrie (1976), de Brian de Palma, do quarto 237 de The Shining (1980) de Kubrik ao mais recente franchise Saw sem esquecer um dos êxitos do final do século através de The Blar Witch Project (1999), Playtime's Over brinca um pouco com o cinema permitinfo ao seu realizador criar uma obra que se insere no terror não só pelo ambiente de insegurança que recria ao colocar uma inocente babysitter num ambiente hóstil como também pela sua capacidade de brincar com as diversas referências que homenageia ao mesmo tempo em que constrói a sua própria história.
Mais uma comédia mordaz do que propriamente um filme de terror, este assume-se portanto através das referência aos hoje considerados clássicos do género. Aquelas obras que qualquer cinéfilo mais atento irá reconhecer sem, no entanto, esquecer de criar a sua protagonista de terror que aqui se assume mais como uma personagem "em crescimento", capaz de transformar a vida da mais inocente pessoa num caos (talvez seja esse o seu terror verdadeiro), enquanto que se diverte em fazer sofrer, em assustador e em criar a próxima vítima do género - e no final percebe o espectador que ela não estava sózinha - mas que, ao mesmo tempo, consegue passar incólume aos olhos dos seus progenitores mais preocupados com a sua própria vida e acontecimentos sociais do que propriamente em dar atenção ao seu rebento que encontra, dessa forma, não só a sua desculpa para passar ao lado dos que a olham com olhos de verdade como também em construir o seu próprio universo cheio de imaginação e criatividade.
Típico do género teen horror movie, Playtime's Over é acima de um filme de terror, um que celebra o género pela referida homenagem assim como tantos dos elementos que os compõem... o terror dentro de uma casa isolada... a eterna criança tantas vezes vítima de um agressor desconhecido e claro... a sempre presente babysitter que é, normalmente, a primeira e vítima maior do terror que espreita na escuridão... divertido, bem pensado e executado, Playtime's Over... ou será apenas o início?!
.
7 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário