quinta-feira, 29 de abril de 2010

My Best Friend's Girl (2008)


.
A Namorada do meu Melhor Amigo de Howard Deutch com as interpretações de Kate Hudson e Dane Cook nos principais desempenhos e secundados com as interpretações de Jason Biggs e Alex Baldwin é uma - mais uma - das inúmeras comédias românticas em que a Hudson se começa a "especializar".
Quando Dustin (Biggs) decide conquistar Alexis (Hudson) com a ajuda de Tank (Cook), provando-lhe que a maioria dos homens só procuram sexo descartável, dificilmente poderia imaginar que o feitiço se viraria contra o feiticeiro e que presa e predador se poderiam apaixonar. Poderá então o maior marialva ter um coração sentimental?
Ainda que um agradável surpresa por conter elementos de uma comédia sarcástica que habilmente escapam ao género, o argumento de My Best Friend's Girl é em muito semelhante a tantos outros deste estilo das comédias românticas permanecendo no reino das tradicionais histórias de amores impossíveis que afinal se cumprem.
"Tank", naquele que é um brilhante Dane Cook, é um tipo contratado para se armar em desprezível a todas as mulheres com quem se cruza, criando assim hipóteses aos seus namorados de se tornarem irresistíveis aos seus olhos. A relação despreocupada que leva para com a vida é apenas abalada quando decide favor um favor ao seu melhor amigo e, contrariamente ao desejado, se apaixona pela mulher que este quer impressionar. Por entre as peripécias que se podem imaginar e amizades que são testadas, o melhor que é retirado desta comédia ligeira são os diversos momentos em que "Tank" entra em acção provocando o pânico por todos aqueles com quem se cruza fazendo crer que o amor não é para si mas, ao mesmo tempo, demonstrando cada vez mais que afinal existe um insuspeito coração que pretende ser preenchido.
As confusões que daqui provêm são, como será de imaginar e esperar, imensas. Todos os lugares comuns acabam por fazer parte desta comédia mas tornados irrelevantes pelo bom ritmo dado aos acontecimentos e à forma como todas as personagens aqui representadas parecem ser, de uma ou outra forma, disfuncionais no que à vida - e ao amor - diz respeito e afastando qualquer dinâmica lamecha do percurso. Afinal, conheceremos nós alguém assim tão "fora" da realidade?
No seio da uma gritante irracionalidade reinam ainda as interpretações de Alec Baldwin como o mentor da disfuncionalidade de "Tank" e Zooey Deschanel como a amiga alucinada de "Alex" e todos os secundários que dão uma cor especial a uma comédia que não sendo excelente prima por bons momentos de boa disposição e que fazem Kate Hudson descolar-se da imagem de "namoradinha" da América desesperadamente à espera de ser arrebatada (ainda que o seja e esteja).
Temos então uma comédia mordaz e bem-disposta que foge radicalmente ao estereótipo da tradicional comédia romântica onde todos "vivem felizes para sempre", e apesar de se inserir perfeitamente nesta categoria, não deixa de piscar o olho a um lado mais perverso da condição humana enquanto ser apaixonado à procura do seu par.
.

.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário