quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Dentes e Garras! (2013)

.
Dentes e Garras! de Francisco Lacerda é uma curta-metragem portuguesa que recupera a tradição do filme trash com esta genial incursão no género que é bem sucedida do início ao final.
Esta curta cujo argumento é também da autoria do seu realizador, remete-nos para uma viagem nocturna feita por um militar embriagado que acidentalmente liberta um monstro pré-histórico que transporta dando assim origem a uma carnificina e destruição sem limites.
É quando tudo e todos aqueles com quem se cruza parecem perdidos para as garras deste monstro que se revela um inesperado herói que tem em Bruce Lee o seu mestre espiritual e que apenas precisou encontrar o seu momento de crise para se revelar.
A originalidade desta curta-metragem, principalmente no que a cinema português diz respeito, faz com que ela se afirme desde o primeiro instante como um exemplo que ficará para o futuro independentemente se a sua qualidade fosse mais ou menos boa. No entanto aquilo que aqui temos é não só uma curta que irá ser referência como também um excelente trabalho técnico no seio daquilo que poderemos considerar um filme trash que se assume "mal elaborado" (de mau nada tem) com precisão e cuidado nos detalhes que apresenta.
Desde a sua direcção de fotografia a cargo de Hugo França (premiado este ano aqui no CinEuphoria) que nos apresenta uma imagem difusa e quase esbatida pelo tempo, assumindo-se assim pouco nítida, como se de um filme também ele pré-histórico se tratasse e que nos faz entrar de imediato no universo trash, Dentes e Garras! é, sem qualquer margem para reservas, um filme que está mal... bem feito. A imagem "amarelecida" como se de uma fotografia antiga se tratasse, as cores berrantes nos momentos mais tensos que contrastam com reflexos esbatidos que não nos permitem adivinhar muito sobre o meio envolvente, pelo menos não mais do que aquilo que interessa fazer ver, é apenas um dos muitos pequenos grandes detalhes que tornam esta curta-metragem não só numa obra de referência como é sem qualquer reserva um dos filmes maiores e mais originais que este ano cinematográfico nacional poderá ver.
Outro dos aspectos positivos deste filme é o seu conjunto de efeitos que passam desde a elaboração do monstro pré-histórico que, sem nunca revelar muito da totalidade da sua aparência, exibe o suficiente para percebermos que se trata de um dinossauro chegado não se sabe de onde, informação que também pouco importa, bem como todos os pequenos detalhes gore que a sua passagem e consequente destruição originam naquele que chega a ser um verdadeiro banho de sangue e de mutilação ao longo de quase toda esta original experiência e sempre com uma boa dose de humor e alguma sexualidade que o género tanto pede.
Filme trash na sua essência fazendo com que tudo esteja aparentemente "mal elaborado" para que o verdadeiro espírito do sub-género se encontre no seu auge e que obriga espectador não só a entrar no espírito como também se divirta durante todo o processo desejando assim que esta curta-metragem se prolongue durante muito mais tempo. O potencial está lá todo.
Não poderia ser um filme trash se não tivesse a sua boa dose da já referida comédia e que em Dentes e Garras! não são meros instantes mas sim muita da sua essência. Desde o militar alcoolizado que liberta o inferno pelas matas, passando pelo ocasional transeunte na mesma que se transforma no inesperado salvador da Humanidade ao conseguir, numa luta corpo a corpo, exterminar aquele monstro, no casal prestes a iniciar mais um momento de intensidade sexual e que é apanhado no meio desta aventura ou até mesmo o realizador que se encontra a criar a sua obra de arte (que dela pouco tem) e que se aproveita das inesperadas circunstâncias para poder finalmente ter a sua oportunidade de ouro mesmo que a custo do sacrifício dos demais. A perseguição Dinossauro vs. Homem é algo que mescla a tensão e a comédia resultando assim num momento no mínimo hilariante!
Tudo aqui, sem excepção, contribui para momentos divertidos e bem dispostos que nos cativam e prendem ao ecrã pela sua originalidade e excelente execução e sempre na esperança de poder ver e ter um pouco mais desta acção cómica sem limites que, correndo o risco de utilizar um lugar comum nesta linguagem, se constitui como uma verdadeira e bem recebida lufada de ar fresco que espero venha a ser bem recompensado no futuro próximo.
Dentes e Garras! é um filme que não se pode perder. Assumo-me como fã e quero mais!
.
.
10 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário