sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

O Sapato (2017)

.
O Sapato de Luís Vieira Campos é uma curta-metragem portuguesa de ficção presente na Competição Oficial do Caminhos do Cinema Português a decorrer em Coimbra.
No confessionário. Uma mulher (Adriana Faria) confessa-se ao padre enquanto observamos que lhe falta um sapato. Num único movimento a câmara afasta-se e leva o espectador para um descampado onde se encontra o outro sapato.
Luís Vieira Campos cria esta magnífica micro-curta que inicialmente deixa o espectador com um apurado sentido de curiosidade sobre aquilo que observa mas que rapidamente desarma pela inesperada tragédia que o assola no instante final antes da imagem desaparecer.
Num único e concentrado plano, O Sapato apresenta-se como um filme sobre o qual esperamos uma surpresa sim, mas algo centrado no espaço eclesiástico como se de um cómico de situação se referisse. No entanto, é com a ausência de um único e eficaz elemento - aquele que dá título ao próprio filme curto - que o espectador se deixa levar pelos meandros de uma história que lentamente, e sem se conseguir perceber porquê, ganha contornos assustadores, trágicos e assumidamente assombrosos. Sem que se consiga desviar o olhar das imagens, durante breves minutos o espectador fica refém do que vê e de uma história que, compreende, não ir ter um final feliz.
Sem interpretações que se destaquem - ainda que se reconheçam Miguel Rubim e Adriana Faria -, é o plano sequência de O Sapato que dá corpo a um intenso e surpreendente argumento que prima pela curiosidade e desarma pela componente trágica que caracterizam todo o filme. Num pequeno mundo onde as aparências são, por vezes, mais vinculativas do que a realidade, até que ponto pode esta ser, na prática, bem mais comprometedora do que aquilo que à partida os olhos vêem?!
Intenso, dramático e assustador, O Sapato é seguramente um dos filmes curtos dos últimos tempos e Luís Vieira Campos um daqueles realizadores que mesmo não tendo obra regular, se afirma pela pujança das histórias que conta.
.
8 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário