segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Assim Como Todos os Dias (2012)

.
Assim Como Todos os Dias de Luciano Sazo que também assina o argumento, dá-nos um interessante retrato sobre um dos flagelos dos nossos dias... o desemprego jovem.
Esta curta abre com imagens de uma jovem que quase parece recusar sair da cama para não ter de enfrentar um novo dia. Sem sabermos inicialmente qual o seu problema, constatamos que todas as suas tarefas parecem ser, acima de uma obrigação, um sacrifício. O acordar, o levantar e o sair da cama são penosos demais para serem "reais".
Mais tarde percebemos que aquilo que a aflige é, à semelhança de tantos, o sentimento de ter estudado uma vida inteira para chegar àquela idade da transição onde se espera um futuro melhor e perceber que afinal ele não existe.
Com uma duração aproximada de dez minutos, e depois de vermos este conteúdo, aquilo que esperamos é que ela pudesse durar mais e ser assim explorado um pouco mais do dia desta jovem que parece já ter perdido qualquer expectativa sobre o dia de "amanhã". No entanto, esta curta duração de filme faz com que fique a saber a pouco deixando-nos num limbo a pensar sobre "o que poderia ter sido se...".
Existem algumas falhas a nível de som e de fotografia que tornam o ambiente um pouco escuro e denso demais mas que poderiam ser facilmente transformados bem como alguma maior fluídez nos diálogos para a tornarem um pouco mais natural. No entanto, pelo conteúdo da mensagem que o realizador pretende transmitir esta curta-metragem tem um potencial interessante por explorar.
.
5 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário