terça-feira, 10 de novembro de 2015

Te Prometo Anarquía (2015)

.
Te Prometo Anarquía de Julio Hernández Cordón é uma longa-metragem de ficção presente na secção competitiva desta edição do LEFFEST - Lisbon & Estoril Film Festival que decorre até ao próximo dia 15 de Novembro.
Miguel (Diego Calva Hernández) e Johnny (Eduardo Eliseo Martínez) são dois adolescentes companheiros de aventuras e de amor que se dedicam ao tráfico de sangue para ganharem dinheiro no México dominado pelos cartéis.
Desresponsabilizados de todo e qualquer compromisso para lá da evidente cumplicidade mútua, os dois vão embarcar numa perigosa viagem que irá alterar para sempre as suas vidas. Num misto de cumplicidade e aventura, os dois jovens vêem-se colocados numa situação limite onde a sua sobrevivência depende do abandonado da vida tal como a conhecem.
O realizador e argumentista Julio Hernández Cordón cria uma invulgar história de amor num México do século XXI onde a pobreza e a ostentação - as oportunidades e a falta delas - se mesclam criando estilos e modos de vida diferentes que co-habitam no mesmo espaço geográfico.
Dividido em três momentos fundamentais, Te Prometo Anarquía apresenta-nos assim estes dois jovens - "Miguel" e "Johnny" - cúmplices desde jovem idade e cuja amizade se desenvolveu para uma relação sentimental que escondem dos poucos amigos e das famílias. Centrados não só na sua relação como nas aparências, ambos partilham ainda uma relação profissional que os aproxima dos cartéis mexicanos... Ambos traficam sangue para os referidos cartéis numa prática que lhes assegura a sobrevivência e a independência de qualquer controlo parental num México com uma elevada taxa de pobreza económica e social bem como de desemprego onde todos lutam por um rendimento extra.
Se neste primeiro momento temos a apresentação desta relação bem como da actividade lúdica na qual partilham a paixão pelo seu skate mas também a crescente - e sempre presente - cumplicidade e até ciúme, a segunda parte deste filme demonstra a vontade de ambos em que os seus rendimentos sejam visíveis para poderem afirmar-se definitivamente como independentes das amarras que ainda os prendem às suas casas.
Finalmente, o terceiro momento deste filme prende-se após uma transacção - a sua última - que envolve várias dezenas de pessoas e que corre mal levando a que os traficantes façam desaparecer todos aqueles que se disponibilizam para doar o seu sangue a troco de alguns dólares, permitindo-lhes assim alguns dias longe da pobreza em que se encontram, os dois jovens deparam-se com a sua independência e segurança ameaçadas tendo, desta forma, de escapar e iniciar toda uma nova vida que será, agora, afastados da cumplicidade que os une.
Com um tom claramente denunciador sobre grandes e "respeitadas" figuras da sociedade que se envolvem com redes criminais de forma a manterem um nível de vista faustoso e de ostentação, Te Prometo Anarquía é principalmente um conto sobre uma amizade incondicional e cúmplice que se vê forçada a encarar a sua extinção e sobre a mágoa, tristeza e o arrependimento de um amor terminado pelas involuntárias circunstâncias de uma vida que se quis e desejou melhor mas que fora ultrapassada e suplantada pelas condicionantes não controladas de um mundo que espera por devorar a próxima vítima desatenta.
Intrigante ainda pela forma como Diego Calva Hernández e Eduardo Eliseo Martínez transformam as suas duas personagens em elementos de uma potencial fábula urbana, Te Prometo Anarquía apresenta estes seres de consciência dupla que  percebendo os actos ilícitos que cometem os denunciam não pelo que praticam mas por aqueles que permitam que os mesmos existam condenando assim as vidas repletas de uma moral podre - mas defendida - em detrimento daqueles que anónimos são sugados pelos malefícios da mesma.
Ainda um destaque positivo para a moderna e sedutora banda-sonora de Erick Bongcam que parece querer transformar toda esta longa-metragem mexicana num videoclip muito ao estilo de século XXI numa sociedade de extremos e para a direcção de fotografia de María Secco que dá uma cor especial às ruas perdidas do México.
.

.
7 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário