sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Becoming Bulletproof (2014)

.
Becoming Bulletproof de Michael Barnett é um documentário em formato de longa-metragem norte-americano centrado no processo de filmagens de Bulletproof - o filme - com actores com necessidades especiais que encontram neste processo uma forma de auto-validação - e acreditação - nas suas capacidades e potencialidades enquanto artistas.
Um desses actores é AJ Murray um jovem confinado a uma cadeira de rodas devido à doença que o aflige mas cujos sonhos são bem maiores do que as limitações que lhe estão inerentes. Como estreante nesta companhia de actores, o espectador acompanha todo o processo de preparação do filme e alguns desabafos pessoais de AJ que se revela através dos ensaios e demais experiências ao mesmo tempo que se liberta do acompanha do lar e da mãe entregando-se, por outro lado, àqueles que o acompanham em filmagens e que partilham com ele todo um conjunto de momentos e intimidades que nunca havia experimentado com outra pessoa desde, por exemplo, tarefas como o vestir até à higiene diária que precisa efectuar e que, até então, havia sempre estado ao cargo da mãe.
Desde as provas de guarda-roupa as ensaios do guião, o espectador acompanha este conjunto de actores não profissionais - mais com uma vontade enorme de saborear o que têm paa dar ao mundo - nas suas relações e nos afectos que estabelecem não só entre si como também com aqueles que os acompanham diariamente como sendo os seus braços, pernas ou mente mais "móvel", como também verbalizam - graças a esta experiência - a sua condição no mundo, os seus sonhos, vontades e desejos (inclusive do próprio despertar sexual), afirmando-se naturalmente como os homens e mulheres que são. No fundo, tudo o que está por detrás desta experiência fílmica acaba por ser a humanização do seu ser e não as limitações da sua condição física.
Curiosa ainda a forma como são criadas em Becoming Bulletproof as dinâmica perfeitas não só entre estes actores e os seus "auxiliares" (creio que podem ser assim apelidados sem que tenha este termo nada de diminuto), como também são inseridos no documentário os pais de alguns deles que expõem alguns detalhes da sua infância ou até mesmo dos seus desejos e aspirações para os filhos que esperam ver "crescer" . no sentido do seu auto-desenvolvimento. É então que, criada esta "ponte" temos, uma vez mais, a presença de AJ que revela sentir difícil o seu regresso ao "mundo real" depois de uma experiência onde viveu o seu sonho... como regressar depois de o ter experimentado? Depois de alguns desabafos e mágoa sobre o seu sentimento diário em que revela achar-se um "inútil", Becoming Bulletproff tem através dos seus relatos, presença e experiências, o seu mais emotivo interlocutor que apenas espera - tal como todos nós - amor, respeito e dignidade para a sua vida.
Tal como é referido a certa altura, e que retrata na perfeição o objectivo principal deste documentário, Becoming Bulletproof encarna uma sentida tradução da experiência humana... quebra barreiras sociais e estabelece pontes entre os indivíduos independentemente das suas condições, assumindo-se, dessa forma, como um dos mais emotivos e humanos documentários dos últimos tempos.
.

.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário