terça-feira, 12 de abril de 2016

8 Mile (2002)

.
8 Mile de Curtis Hanson - o mesmo realizador de Bad Influence (1990), The Hand that Rocks the Cradle (1992), The River Wild (1994), L. A. Confidential (1997) pelo qual venceu o Oscar de Melhor Argumento Adaptado, Wonder Boys (2000) e In Her Shoes (2005) - é uma longa-metragem norte-americana vencedora do Oscar de Melhor Canção Original.
B-Rabbit (Eminem) é um jovem rapper numa constante luta pessoal em todos os aspectos da sua vida. Não só vive no limiar da pobreza com uma mãe alcoólica (Kim Basinger) que encontra conforto num qualquer homem que surge no seu caminho (Michael Shannon), como também é o principal guardião da sua irmã ainda criança, não tem um emprego estável, nem namorada e o único alento da sua vida são o restrito grupo de amigos que fielmente o acompanha e um sonho... poder viver da sua música.
As comparações entre a história de "B-Rabbit" com a do próprio Eminem são óbvias e evidentes. Para o espectador é impossível visionar este filme e não conseguir estabelecer e encontrar um sem fim de semelhanças entre ambos e ver um reflectido no outro. As vidas problemáticas em subúrbios desolados onde a miséria se apodera e consome o dia-a-dia de um sem número de pessoas que em tempos tentou lutar contra a sua própria extinção mas que eventualmente se renderam ao fracasso dos seus sonhos, sem esquecer que este mesmo sonho é, por vezes, não só difícil de concretizar como principalmente até de o ter, são as dinâmicas principais de uma história que, em última análise, vive mais do mediatismo do seu actor/cantor principal do que propriamente da história em si que, em boa medida, não só já foi muito filmada como com contornos com os quais uma larga maioria dos seus espectadores se pode identificar para lá de um certo nicho com os mesmos sonhos e aspirações.
Na prática o que temos de 8 Mile não é nada de novo para lá do que já esperamos... Um tipo a quem a vida nunca sorriu, que viveu uma adolescência com sonhos grandes demais para lá daquilo que lhe estava "reservado" enquanto uma possibilidade e um grupo de amigos que, ainda que fiéis, não podem ajudá-lo a concretizar os objectivos com os quais toda a vida sonhou. O sonho é uma constante... Aquele de uma vida melhor, de uma casa melhor, de algum respeito que os seus pares lhe têm negado por ser de origens que o envergonham e, no fundo, a garantia de uma vida onde a escassez e os problemas de um qualquer despejo sejam apenas fruto de uma imaginação passada.
Se tivermos este conjunto de ideias em mente... todo o filme acaba não só por confirmá-las como estar visto... sem ser necessário grande esforço intelectual. 8 Mile é, para mim, um filme simpático de sábado à tarde... Um daqueles que sabemos ir momentaneamente distrair-nos e perceber/esperar que o sol pode sorrir a todos - mesmo àqueles cujas origens e meios roçam o limiar de uma miséria social e económica absoluta - mas apenas nos Estados Unidos onde todos os sonhos parecem ainda ser possíveis.
E por "filme simpático" reforço que não passa disso. Longe de uma longa-metragem desinteressante, 8 Mile não consegue ter o fogo de outras obras de Curtis Hanson como a tensão filmada daquelas dos anos 90 ou o "coming of age" sentido em Wonder Boys ou In Her Shoes. Aliás, Curtis Hanson pode dar graças pelos últimos instantes de 8 Mile onde um "B-Rabbit" agora vitorioso e que consegue finalmente ver o seu sonho concretizado mas que, no entanto, não espera que naquele momento todo o céu seja "agarrado" limitando-se a perceber que tudo é possível mas que as suas responsabilidades falam mais alto e o obrigam a descer à terra e lutar por uma vida diferente daquela que em tempos imaginara. São estes instantes finais que na minha opinião conseguem criar uma empatia entre espectador e personagem para lá da fanfarronice e lugares comuns que o género "poor kid gets is chance" normalmente entregam, mostrando que a tranquilidade é alcançada quando se pacifica o Homem com o espaço aceitando as suas limitações e compreendendo as suas oportunidades.
Eminem, de e para quem 8 Mile está totalmente direccionado, agarra o filme e este é, de facto, seu... mas se o espectador pensar realmente naquilo que viu e no resultado final, então percebe que o mesmo mais não é para a História do que aquele filme que lhe garantiu o Oscar. Afinal "Academy Award Winner Eminem", não é uma expressão que qualquer um de nós inicialmente considerasse como real.
Tem os seus momentos como obra que filma a concretização de sonhos... outros tantos sobre o poder e a importância da amizade e alguns sobre a aceitação do fracasso mas, para além disso... 8 Mile é um filme banal que a seu tempo - se é que esse já não chegou - não será recordado para lá de "aquele filme de Eminem".
.

.
"B. Rabbit: Don't ever try to judge me dude (...)"
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário