quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

The Condemned (2007)

.
Os Condenados de Scott Wiper foi um surpreendente filme de acção feito com Vinnie Jones, de quem é impossível não gostar independentemente do quão má é a personagem que interprete (aliás, quanto pior fôr mais se acaba por gostar pois fá-lo mesmo muito bem). A partilhar o protagonismo temos Steve Austin numa das suas raríssimas interpretações em cinema que se podem aproveitar.
A ideia deste filme é simples... Temos um grupo de criminosos que são "recrutados" para irem para uma ilha deserta e deixarem filmar, a transmissão directa e online num vídeo snuff, a sua luta pela sobrevivência que lhes dará a liberdade.
No grupo encontramos todo o tipo de criminosos (e de crimes que cometeram) que acedem à ideia apenas com o intuito de conseguirem escapar e assim conseguirem voltar às suas "vidas". O senão de toda esta situação é que terão uma bomba presa à perna e apenas um deles pode sair vencedor o que significa obviamente que não só irão lidar com as adversidades do espaço em que se vão encontrar como também estarão uns contra os outros.
É mais que certo e sabido que vamos ter um filme de acção, carregada de muita acção e boas doses de violência que a muitos não irá agradar. No entanto, este é daqueles filmes de acção ao qual eu até dou uma certa credibilidade na medida em que temos umas quantas noções na sua base que até são de tomar em consideração.
A primeira delas é o facto da sua enorme dose de violência não ser totalmente gratuita. Ela tem um intuito. A realização de vídeos snuff para serem colocados online e estarem ao dispôr de todos aqueles que queiram pagar e ver. Este aspecto está, obviamente, ligado ao facto de poder estar em todo e qualquer um de nós indícios de voyeurismo. Gostar de ver e saber o que se passa com os outros desde o mais trivial a aspectos, como é aqui o caso, de pura e extrema violência.
Em segundo lugar há que pensar sim no facto de não só estar o voyeurismo aqui inerente como também o factor económico. Ganhar dividendos tendo como base o sofrimento alheio como forma de desporto. Fazer ou provocar o mal para à sua custa retirar dividendos.
Como diz e bem a actriz que efectua a "entrevista" deste mal-fadado desporto... estará o problema naqueles que o praticam ou em "nós" que pagamos e gostamos de ver outros em condições de pura degradação e extrema violência? Tal como outro grande filme sobre esta temática, A Tese de Alejandro Amenábar, damos por nós a querer ver mais e mais ao ponto de perdermos a noção daquilo que é real... a violência extrema a que assistimos.
Se esquecermos tudo isto (lá está), o filme vence como puro entretenimento e ser bem estruturado na sua narrativa e claro, também importante, o puro espectáculo que é assistir a um Vinnie Jones mau como as cobras com o qual é impossível não simpatizar.
Este é um daqueles filmes de acção que, longe de ser apenas murro e pontapé, vale mesmo a pena ver e como referi anteriormente, pensar em uma ou duas situações que estão por detrás da sua história.
.

.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário