terça-feira, 20 de setembro de 2016

Virgindade (2015)

.
Virgindade de Chico Lacerda é uma curta-metragem experimental brasileira presente na Competição de Curtas-Metragens desta vigésima edição do QueerLisboa - Festival Internacional de Cinema Queer a decorrer no Cinema São Jorge até ao próximo dia 24 de Setembro.
Numa sucessão de comentários sobre um passado vivido mas não experimentado, o realizador em voz-off relata e revela momentos da sua infância e adolescência onde se proporcionaram todo um conjunto de momentos onde a experiência sexual poderia ter acontecido mas... por inocência, um certo desconhecimento ou falta de coragem não se concretizaram.
Do fetiche de infância - apenas reconhecido em idade adulta - à curiosidade com todo um universo proibido mas que se encontrava à distância de um pequeno passo, sem esquecer os primeiros contactos com um universo homossexual nos balneários, cinemas e através de revistas da especialidade, ao espectador são ainda fornecidos nus integrais nos mais variados cenários como que uma adulação desse imaginário outrora proibido mas agora vivido como que recuperar o tempo perdido.
Quase como um diário visual, Virgindade é fundamentalmente o registo de toda uma experiência pessoal em forma de testemunho enquanto se vagueia por todo um ambiente citadino e campestre que - deduz o espectador -, fez parte da evolução e crescimento do realizador enquanto indivíduo bem como também funciona enquanto um ensaio exibicionista versus voyeurista que tenta provocar e entusiasmar pela facilidade com que exibe sem preconceitos todo um conjunto de nus.
Funciona enquanto "confessionário" de uma doco-evolução pessoal mas não consegue ser cativante enquanto obra cinematográfica por não criar uma ampla identificação com o espectador que assiste e espera um certo "ponto de situação" com a realidade presente do narrador.
.
4 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário