segunda-feira, 21 de março de 2016

Não-Humano (2015)

.
Não-Humano de Hugo Magro é uma curta-metragem documental portuguesa que esteve presente - e venceu - a competição nacional na sua categoria na recente edição do Leiria Film Fest que terminou no passado dia 19 em Leiria.
No Hospital de Bonecas, em Lisboa, são diariamente recebidos vários pacientes à espera de recuperação e de uma nova vida. Este documentário acompanha portanto todo o processo desde a chegada ao Hospital, respectiva triagem e identificação bem como alguns instantes da sua recuperação - e também abandono - durante a sua permanência no mesmo enquanto vislumbramos também alguns instantes das ruas circundantes da capital.
Num estilo de narração com acompanhamento visual, o espectador assiste a momentos do processo de recuperação dos "pacientes" - como são honestamente referenciados - e percebe um pouco do mesmo, desde algumas das suas dificuldades bem como também do abandono a que alguns destes bonecos estão vetados quando o desinteresse do seu "familiar" sucede a uma eventual falta de material para o recuperar.
Se um documentário tem como propósito final o registo de uma vida, então Não-Humano fá-lo de forma honesta não sob uma perspectiva da vida de "alguém" mas sim de um objecto que a acompanhou numa importante fase do seu desenvolvimento - a infância - e que agora através de um espaço simbólico como o é o Hospital de Bonecas, devolve alguma da vitalidade perdida àqueles que foram, em tempos, os melhores amigos de tantas crianças. É neste hospital no centro da cidade de Lisboa, e que tantos de nós desconhecem principalmente por falta de informação, que é devolvida a estes bonecos repletos de silenciosas memórias e alegrias do passado, a vida que perderam, tentando sempre manter o "espírito" e a "personalidade" que lhes fora reconhecida quer através dos seus trajes, cabelo ou olhos, enquanto "lá fora" para lá das suas paredes, tantos Lisboetas - e não só - vagueiam as ruas da capital no seu habitual ritmo mais ou menos alucinante.
.
.
7 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário