sexta-feira, 13 de maio de 2011

Orca (1977)

.
Orca, A Baleia Assassina de Michael Anderson com a participação de Richard Harris e Charlotte Rampling nos principais papéis estando estes secundados por Will Sampson, Bo Derek e Robert Carradine foi um filme que em idos anos me agradou ver apesar do banho de sangue a que se assistia.
Nolan (Harris) capitão de um pequeno barco pesqueiro insiste em capturar uma orca e com isso fazer o dinheiro suficiente para poder rumar à sua Irlanda natal e aí viver confortavelmente.
Nesta caça ao animal, literalmente falando, Nolan mata uma orca fêmea que se encontrava grávida aos olhos do seu companheiro. Tal como durante o filme é feita a questão de ser referido, além do Homem a orca é o único animal capaz de ter o sentimento de vingança. E é com base nesta premissa que todo o restante filme se desenrola.
A partir daqui assistimos então a uma verdadeira caça ao Homem, isso mesmo, por parte de um dos maiores mamífeos do globo. Assim sendo, temos um conjunto de mortes algo espalhafatosas onde reina e impera o derrame de sangue a um ritmo por vezes gore.
Lembro-me que da primeira vez que assisti a este filme ele me tinha impressionado bastante. A imagem daquele animal pacífico e com um ar aparentemente inofensivo havia sido abalada e os meus olhos, então de criança, olhavam para ele de forma diferente.
Hoje em dia reparo que o filme não tem, nem de longe, o mesmo impacto que tivera há largos anos e no final do seu visionamento apenas dou por mim a pensar "ok... está visto", algo não muito bom para poder descrever este filme que termina apenas como sendo "mais um".
Retirando algumas sequências musiciais compostas pelo mestre Ennio Morricone e de alguns bons planos de fotografia da autoria de Ted Moore e J. Barry Herron, o filme acaba por não ter grandes trunfos, nem mesmo a nível interpretativo onde não passa do "regular".
Acabou por ser mais um exercício de recordação cinematográfica do que propriamente um daqueles filmes que irei reter na mente como esteve até agora.
.
.
4 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário