segunda-feira, 16 de março de 2015

Cinema (2014)

.
Cinema de Rodrigo Areias é uma curta-metragem portuguesa de ficção e uma das mais recentes obras do realizador que se encontra nomeado ao Sophia da Academia Portuguesa de Cinema na respectiva categoria.
Neste filme, cujo argumento é também ele escrito por Areias, acompanhamos um homem - o director de fotografia Acácio de Almeida - que vagueia por uma enorme sala de cinema abandonada. Sem uma aparente destruição, esta sala evoca as memórias de um passado rico em todo o tipo de emoções e experiências cinematográficas que agora mais não são do que lembranças perdidas do tempo e que ele, aos poucos, parece querer recordar.
Numa clara alusão ao passado, o espectador é levado por um deambular quase fantasmagórico onde perduram pequenos elementos de um passado de glória, de salas cheias de espectadores e por breves instantes quase podemos sentir a vida que aquelas paredes parecem ter retido.
Ainda que o espectador mantenha sempre a expectativa de assistir a algo mais, a presença de Acácio de Almeida faz-nos simplesmente reflectir sobre o desaparecimento do conceito de Cinema enquanto edifício e sala de exibição tendo dado lugar ao conhecido espaço cinematográfico que encontramos vulgarmente em inúmeros centros comerciais mas que são claramente desprovidos de alma e de uma essência enquanto "culto".
Para lá da mensagem simbólica que Cinema nos transmite, há ainda a destacar a cuidada direcção de fotografia de Jorge Quintela que transforma todos os pequenos espaços, luzes e sombras em espelhos de memórias quase desaparecidas mas que, ao mesmo tempo, dão àquele espaço a alma que tantos outros lugares não ousam ter.
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário