domingo, 6 de dezembro de 2015

Cuatro Postales a Marta (2015)

.
Cuatro Postales a Marta de Hernán Talavera é uma curta-metragem espanhola que num misto de documentário experimental relata uma história de amor por cumprir reflectida através de quatro postais enviados entre dois namorados.
Entre Setembro e Novembro de 2014, o realizador enviou quatro postais para a sua namorada que havia regressado à sua Letónia natal. Com uma melancolia sempre presente que espelha a tristeza de um estado de espírito que sente e pressente uma eventual perda, Cuatro Postales a Marta filma em breves instantes a incerteza e a dor do amor.
De um primeiro postal onde o afastamento é ainda recente e se tenta a reconstrução emocional e afectiva de todas as memórias de um passado e de momentos em comum até ao reencontrar de objectos que fazem recordar uma presença agora ausente, Cuatro Postales a Marta reflecte sobre o tempo que passa, as distâncias que se aumentam a nível emocional e o espaço geográfico que parece ganhar, também ele, uma distância superior àquele que na realidade tem. Os silêncios ganham vida, os pensamentos transformam-se em desejos saudosos de um amor que se afastou e estes são apenas quebrados com imagens de uma tempestade - o afastamento - que se impôs sem questionar se poderia estar presente.
Assim Cuatro Postales a Marta é, para lá de uma prova de um sentido amor, a reflexão sobre o tempo, o espaço, a distância e uma melancolia que, tal como nos é apresentado logo de início o compara a um pinheiro eterno e sereno cujas folhas esperam, dia após dia, o brilho da Lua - também ela distante.
Se esta curta-metragem é, no fundo, uma prova de um amor momentaneamente interrompido, é igualmente justo afirmar que é, também ela, um interessante olhar sobre o passar dos tempos na medida em que o realizador une aquele que era o registo da comunicabilidade "antigo" - para o evoluir dos dias a que hoje assistimos - com aquele que é hoje uma forma mais "contemporânea" de comunicar. Por outras palavras, se por um lado nesses tempos idos era um postal - ou uma carta - a única forma de dois apaixonados se comunicarem à distância, hoje com a evolução das tecnologias e facilidade de a elas se chegar, a gravação de um vídeo (transformado em filme) como a prova máxima de um amor registado para a posteridade consegue ser a confirmação maior de um romantismo sentido.
Terno e por momentos sofrido, Cuatro Postales a Marta é para lá de uma curta-metragem - experimental, documental ou ficcionado - a prova de que o cinema consegue (quando bem dirigido) ser uma poderosa "arma". Arma essa utilizada para confirmar o maior e mais nobre de todos os sentimentos.
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário