sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

In the Heart of the Sea (2015)

.
No Coração do Mar de Ron Howard é uma longa-metragem norte-americana que terá a sua estreia comercial ainda durante o mês de Dezembro e que nos relata a história verdadeira por detrás de um dos maiores contos da literatura em língua inglesa: Moby Dick, de Herman Melville.
Em 1820 o baleeiro Essex é afundado por uma baleia gigantesca que denotava - segundo os sobreviventes - uma vontade de vingança apenas equiparada à do Homem.
Entre os sobreviventes encontravam-se o Capitão George Pollard (Benjamin Walker), o Primeiro Imediato Owen Chase (Chris Hemsworth) e Thomas Nickerson (Tom Holland), o mais jovem tripulante do Essex, que iriam atravessar um longo período de noventa dias em alto mar enfrentando perigos naturais e da mente humana com o único objectivo de sobreviver e resistir àquela que seria a mais dura provação das suas vidas.
Sempre relatado na perspectiva de um "Thomas Nickerson" mais velho - interpretado por Brendan Gleeson - In the Heart of the Sea mostra a vontade quase desesperante de um jovem "Herman Melville" (Ben Whishaw) em repôr a verdade e a honra daqueles que largos anos antes haviam sido surpreendidos por um acontecimento improvável e inacreditável aos olhos dos demais. Um desespero que, como relata, só teria um de dois desfechos possíveis; ou escrever com a consciência de que não será uma obra interessante ou, se não o fizer, saber que jamais conseguirá voltar a escrever.
O drama de Melville é - perigos reais à parte - semelhante àquele vivido pelos baleeiros, ou seja, se para uns o mar é uma vocação à qual têm de voltar sistematicamente, para Melville a impossibilidade de contar uma história à qual se propôs significaria o fim da sua missão e propósito de vida. No entanto, não é do escritor que falamos, uma vez que este apenas se apresenta pontualmente no decorrer desta longa-metragem, mas sim dos seus intervenientes directos  - Pollard e Chase - sendo este último a personagem central de toda esta história. "Chase" é um homem marcado por uma origem modesta e sem tradição marítima que, no entanto, encontra no mar a sua razão de existir e do qual pretende tirar a sua subsistência ao poder chefiar um navio. Na sua impossibilidade remedeia-se com aquilo que surge e ser o "número dois" das famílias mais abastadas e capazes de decidir o seu - e o dele - futuro. No entanto, é nesta viagem determinante e de mudança que finalmente se define o verdadeiro carácter dos dois homens e enquanto um se pretende afirmar pela sua excelência e liderança bem como pela forma como respeita os seus homens, o mar e a sua caça, o segundo apenas se impõe pelo seu título e influência familiar.
É esta viagem que, ao mesmo tempo, os aproxima. A viagem do Essex - e daqueles que lhe sobreviveram - revela o quão estes dois homens podem ser próximos pela bravura como enfrentaram o perigo e a ele resistiram, e pelo respeito que mutuamente entregaram à sobrevivência que perseguiam colocando(-se) em territórios que são não só geograficamente estranhos como o são na sua própria humanidade. Numa viagem de constantes provações - climatéricas e humanas - a resistência apenas foi conseguida à custa daqueles que pereciam e o seu regresso apenas fez sentir que chegavam fantasmas e vultos daquilo que outrora foram.
Pelo caminho ficou uma viagem onde o confronto Homem versus Animal versus Natureza explícito não só nas provações climatéricas de que foram alvo os sobreviventes do Essex mas também num claro confronto entre estes e a grande baleia branca - afinal, o veículo principal de toda esta história - que os perseguia incansavelmente como que dotada de um elevado sentido humano de vingança - o momento "olhos nos olhos" é esclarecedor do mesmo - sem esquecer, no entanto, que perante todas estas provações foram extintas as já referidas diferenças sociais que inicialmente os separavam... perante a crise e com a certeza da morte, viver - é dito algures - era realmente "difícil e estranho".
De forma reflexiva e com excitantes momentos de acção "natural", In the Heart of the Sea cativa pela perspectiva em que enquadra não só uma das maiores obras da literatura em língua inglesa como também os trágicos e escondidos acontecimentos que lhe deram origem. Para nós - espectadores - é entregue um olhar cru sobre aquilo que preferimos ver e reter... a realidade por detrás dos factos ou a épica aventura que se inicia com "Call me Ishmael..." naquele que é um intenso espectáculo de efeitos visuais e uma intensa e de excelência caracterização que rapidamente transforma o seus actores em mártires do mar.
Provavelmente não irá resistir à passagem do tempo como o clássico eterno Moby Dick mas, no entanto, In the Heart of the Sea não deixa de ser um belo e interessante complemento ao mesmo primeiro pela contextualização da obra literária bem como pela reconstituição que é feita dos trágicos acontecimentos e, não possuindo uma interpretação protagonista de destaque deixa, no entanto, a liderança muito bem entregue a um Chris Hemsworth que se afirma a cada nova interpretação que desempenha.
.

.
"Old Thomas Nickerson: The tragedy of the Essex is the story of men. And a Demon."
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário