domingo, 6 de maio de 2018

Bloggers (2017)

.
Bloggers de Ángel Manuel Chivite e Alber Estévez (Espanha) é uma longa-metragem que narra a história de Helena Durovic (Hortensia Chivite), comandante de uma tripulação vinda de missão de regresso ao planeta Terra depois da exploração de minérios em Mercúrio.
O ano é 2078. O planeta Terra está entregue a um conjunto de empresas energéticas mas em falência de minérios que as sustentem. A única possibilidade de sobrevivência da sociedade que conhecemos surge através da exploração de minérios que, no entanto, provoca graves deformações físicas naqueles que nela participam e que são transportados para o planeta à força. A grande questão que se coloca para uma resistência ameaçada prende-se com a continuidade desta exploração para recolha de provas ou expôr estas companhias e impedir o extermínio dos que restam da Humanidade...
A longa-metragem da dupla Chivite e Estévez centra todo o género de ficção científica muito ao estilo daquilo que em tempos o espectador já havia visto com Alien (1979), de Ridley Scott na medida em que toda a dinâmica da história se encontra a bordo de uma nave espacial, num futuro datado mas incerto onde a tripulação da mesma se vê ameaçada não por uma perigosa força alienigena mas sim pelos perigos que os esperam no seu regresso a um Planeta Terra refém das forças empresariais que dominam os destinos da população. Por entre os sobreviventes, sente-se o perigo. Um perigo que começa por ser psicológico na medida em que todos vivem amedrontados com os efeitos de uma nave tecnicamente não responsiva mas que, ao mesmo tempo, parecem viver amedrontados com alguns dos seus companheiros de viagem dos quais começam lentamente a duvidar. Entre um acérrimo instinto de sobrevivência, traições palacianas de um mundo que parecem já conhecer e dilemas existenciais que comprometem não só a sua integridade como a sobrevivência dos seus semelhantes na Terra, esta tripulação começa a sentir os efeitos de uma demência típica de alguém que se encontra preso e condicionado independentemente da escolha que tome.
Tecnicamente elaborada e fiel ao espírito de um filme que se propõe recriar o ambiente numa nave espacial - em todos os instantes que o espectador dedica a sua atenção à decoração tem presente no seu imaginário a já referida obra de Scott ou mesmo THX 1971 (1971), de George Lucas -, é esta atmosfera envolvente num elegante cenário sóbrio e frio que melhor se destaca em toda esta longa-metragem e que, de certa forma, também concentra toda a atenção do espectador. Ainda que eventualmente sofra dos males do pouco investimento num cinema que se compreende como independente, Bloggers consegue cativar por essa atmosfera e só depois pela sua narrativa enquanto história que mescla o pânico de clausura fruto desta viagem pelo espaço, a intriga palaciana que se vive nesta Terra de 2078 e, finalmente, pela história de luta de uma resistência que a tudo se dispõe como forma de desmistificar a ocultação de verdades que possam - talvez - salvar a Humanidade de uma extinção completa às mãos dos eternos agiotas económicas que se impõe (erradamente) como salvadores de um qualquer estilo de vida que, aparentemente, não se consegue manter.
Se esta dinâmica de cenário versus argumento já mostra as suas potencialidades que, no entanto, tendem a não ser exploradas na sua totalidade ficando-se por um lume brando incapaz de destacar Bloggers para lá da homenagem às obras já mencionadas, as interpretações acabam por sofrer da mesma fragilidade há excepção de Fidel Cornago como "Samuel", o inexperiente mas competente técnico que sofre desses mesmos males de isolamento e solidão numa missão especial que parece não ter fim e que condiciona o seu próprio juízo e sanidade mental destacando-se ainda de forma assumidamente positiva a direcção de fotografia que não só ilumina com os seus tons frios o referido distanciamento, solidão e perda de esperança que se pretendem nesta longa-metragem.
Cativante, inteligente e muito bem estruturado apesar de quaisquer limitações que uma obra de cinema independente acaba por sofrer, Bloggers deixa o espectador com a noção de que se encontra perante uma longa-metragem pensada e bem planeada capaz de fazer denotar uma narrativa coesa apesar das suas fragilidades e consciente de uma mensagem social que tenta fazer chegar ao seu público sobre um mundo que morre lentamente... mas que a bem desse poder económico de rosto oculto, está preparado para não se deixar morrer sózinho.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário