quarta-feira, 15 de abril de 2015

Pátria.PT (2014)

.
Pátria.PT de Duarte Guedes e Nuno Simões é um documentário em formato de curta-metragem português que se inicia com uma breve informação sobre o que é a "pátria"; terra onde se nasce, nação a que se pertence ou lugar de onde se provém.
Aos poucos as imagens mostram-nos uma de muitas localidades portuguesas onde as lojas e as casas têm a mesma informação - "aluga-se ou vende-se" - num retrato daquilo que é o Portugal de 2014, onde muitos dos cidadãos nacionais têm - tiveram - de optar por seguir viagem para as mais diversas paragens como forma de poder prosseguir com a sua vida e (sobre)viver noutras paragens que não a sua.
O mesmo documentário que termina com outra palavra que tanto tem caracterizado a portugalidade ao longo dos séculos - "Migração", como o acto mais ou menos forçado que como opção de muitos - primeira ou última - de conseguirem assim dar lugar à sua vida digna não conseguida na sua pátria.
Pátria.PT é assim o protótipo de um sentimento nacional desde sempre sentido mas que, nos últimos anos, ganhou uma dimensão maior do que o próprio povo por ser a única possibilidade de toda uma geração - ou gerações - de encontrarem a vida que em Portugal lhes foi roubada como o fruto de um conjunto de políticas destruidoras que os sucessivos governos têm levado ao longo dos anos neste país. Políticas essas que têm servido não a República ou a sua população mas sim um conjunto de interesses pessoais que só alguns conseguem ver satisfeitos esquecendo que na Res Pública  o dever é servir... nunca ser servido.
Interessante por esta abordagem de desilusão e descontentamento que são, no fundo, generalizados mas tantas vezes silenciados, Pátria.PT ecoa pensamentos que se pensavam encerrados no Portugal do século XXI onde a emigração não é entusiasmada mas sim forçada devido a um sentimento de que o país não é para aqueles que dele têm de sair. Um país onde os pais se separam os filhos e onde os laços e os grupos primários formados desde a nascença são abruptamente cancelados.
.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário