quinta-feira, 12 de maio de 2016

A Torre (2015)

.
A Torre de Salomé Lamas é um documentário em formato de curta-metragem em co-produção portuguesa-alemã-moldava e um dos quatro filmes nomeados ao Sophia da Academia Portuguesa de Cinema na respectiva categoria.
Três indivíduos sentados numa clareira. Uma fogueira no meio. O som do vento a percorrer as árvores. Alguém percorre um caminho até ao topo de uma árvore.
Com uma direcção de fotografia de excelência que consegue captar a essência de um espaço natural e evidenciar o Homem no seu centro, A Torre é um filme documentário que se perde no meio de uma estranha irracionalidade. Se inicialmente o espectador deduz que irá estar perante um filme que irá documentar uma viagem através de um espaço natural onde o Homem e a Natureza vivem numa breve comunhão exibindo ainda a dicotomia Terra versus Céu como os dois elementos extra que se evidenciam, cedo este documentário se perde num espaço místico/misterioso do qual o espectador dificilmente chegará a uma conclusão.
De uma despedida da vida terrena ou prenúncio de um elaborado suicídio, A Torre elimina na quase totalidade o elemento Homem privilegiando o elemento Natureza e toda a sua dinâmica - e dominadora - presença "esclarecendo" que para lá deste... ela resistirá.
Se olharmos para este documentário através de uma perspectiva filosófica, A Torre poderá ser um filme interessante e sucedido na sua mensagem... se o abordarmos como um documentário tradicional, poderemos concluir que este é o trabalho da realizadora que mais aquém ficou das expectativas enquanto tal.
.
3 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário