quarta-feira, 11 de maio de 2016

Terra Mãe (2015)

.
Terra Mãe de Ricardo Couto é um documentário em formato de curta-metragem português e um dos nomeados ao Sophia Estudante que será entregue pela Academia Portuguesa de Cinema no próximo dia 13 de Maio, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa.
Numa aldeia do interior português o espectador conhece uma família. Avós, pais e neta que durante vários momentos acompanhamos nas suas mais diversas tarefas como, por exemplo, trabalhar a terra, o pastoreio dos animais, o trabalho no tear e as aulas da jovem criança.
Com os seus dias totalmente dedicados ao campo e ao trabalho aí implícito, Terra Mãe cedo se transforma numa alegoria sobre um modo e estilo de vida onde a terra para lá de local onde a família nasceu e cresceu, se transforma enquanto fonte de rendimento e de sustento dos mesmos. Os momentos de lazer são pequenos luxos que se prendem intimamente com a partilha de tempo do clã onde a música e um pequeno convívio no café imperam.
No final celebra-se um dia de trabalho ultrapassado. Um dia de tradições respeitadas e um dia de esforço conquistado estabelecendo, uma vez mais, a íntima relação entre esta família e a terra que os viu nascer, crescer e envelhecer.
Quase como um filme documental da história de uma família - ou pelo menos de um dos seus dias que se suspeita ser semelhante a tantos outros - Terra Mãe priva-se de artifícios, apenas cedendo à modernidade na existência de equipamentos que nos revelam que nos encontramos numa espécie de actualidade mantendo em todo o demais cenário a convicção de que a Terra e o Homem vivem próximos conferindo a primeira a subsistência dos demais.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário