sexta-feira, 7 de junho de 2013

Oh Johny (2012)

.
Oh Johny de Paulo Carneiro é uma curta-metragem documental filmada no Bairro Padre Cruz que nos conta a relação de Johny (João Gomes) com os seus atletas de eleição... os seus pombos correio premiados de que tanto se orgulha.
Para além desta relação Homem e animal, esta curta-metragem presenteia-nos ainda com uma clara contemplação do espaço, dos locais e dos sons que, independentemente da ocasião, nos fazem ter a presença de Johny mesmo que ele não se encontre, num dado momento, visualmente presente.
O som das suas habituais corridas só pode ser equiparado àquelas feitas pelos seus "atletas" e, tal como eles fazem do céu a sua pista, Johny faz da estrada o seu local de treino, pela qual faz inúmeras corridas. Assim, e a um ritmo concertado e disciplinado, temos uma harmonia entre os passos da sua corrida, a sua respiração e os constantes silêncios que estes momentos lhe proporcionam.
Num documentário onde os sentidos necessitam de estar apurados para apreciarmos não só a sua imagem como também os sons que nos são transmitidos, este ganha assim um lugar de destaque na medida em que é ele que nos proporciona a percepção do seu principal interveniente mesmo quando este não se encontra presente. Se por um lado olharmos para o céu e vemos a "passada" efectuada pelos pombos, não é menos verdade que escutamos os passos do seu treinador sem que, na prática, o estejamos a ver.
Esta dualidade de momentos é muito bem captada pelo técnico de som e faz deste documentário uma peça que para além de necessitar de ser visualizada tem também de, e talvez principalmente, ser escutada, naquela que é uma interessante abordagem para o género documental, e revelando assim a significativa importância dos sentidos para a percepção de um filme.
Um documentário simples e interessante que já passou por alguns festivais de cinema internacionais, e que difere do tradicional ao privar-se da transmissão de uma mensagem história para transmitir sim a relevância dos sentidos na captação de uma mensagem.
.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário