quarta-feira, 12 de junho de 2013

Mergulho (2009)

.
Mergulho de Pedro Sena Nunes é uma curta-metragem portuguesa que não sendo de ficção consegue transmitir um sentido profundamente presente de que todos os seus "movimentos" foram previamente pensados.
Estamos numa piscina. Vários são aqueles que vão entrando nela e que através de um conjunto de movimentos perfeitamente sincronizados, mas não intencionalmente, nos entregam uma visão de libertação e de dança debaixo de água, mostrando assim a mais perfeita coreografia não intencionada.
Aos poucos, e à medida que nos aproximamos do final desta curta-metragem, percebemos através das bem pensadas e inseridas ilustrações de João Ribeiro que aquelas pessoas ou perderam ou nunca tiveram a sua própria mobilidade e independência e que ali (re)encontram uma forma própria e expressiva de comunicar como se, aos poucos e de forma natural, a tivessem recuperado.
À medida que aquela curiosa dança toma forma ao som da música original composta por João Gil, assistimos à mais sentida forma de comunicar sem qualquer palavra e que, aos poucos, transmite a sua própria ideia de liberdade e de pertença num mundo por onde passam tantas e tantas pessoas sem conseguirem através dessas mesmas palavras expressar que estão "ali".
Uma profundamente sentida e libertadora dança que a inteligente e emotiva coreografia de Sena Nunes conseguiu transpôr através de imagens... também elas sem palavras.
.
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário