segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

The Twilight Saga: New Moon (2009)

.
A Saga Twilight: Lua Nova de Chris Weitz (EUA) é o segundo capítulo da saga Twilight de Stephenie Meyer no qual Edward (Robert Pattinson) se afasta de Bella (Kristen Stewart), a sua amada, depois de no capítulo anterior esta ter sofrido um ataque quase fatal. Agora, isolada, Bella desenvolve uma nova relação sentimental com Jacob (Taylor Lautner) sem saber que este tem, também ele, um segredo que pretende esconder.
The Twilight Saga: New Moon são duas horas de um capítulo intermédio que se prolonga para lá dos seus potenciais quinze minutos de duração (com intervalo) que pouco, muito pouco, adiantam para esta história que se assume aqui francamente cansativa. Se Twilight (2018), de Catherine Hardwicke poderia até funcionar como o primeiro capítulo introdutório a uma história que, dado o seu enredo e o conjunto de jovens actores que dele fazem parte, seduziria um público mais juvenil, não deixa de ser um facto que do mesmo se esperaria uma história mais centrada num lado mais negro típico destes contos e não tanto nas trivialidades e banalidades que se escondem por detrás dos factos e que aqui ganham destaque enquanto "momentos relevantes" de uma história que não o é. Por outras palavras, se estas histórias de fantasia e de algum cariz mais sombrio normalmente conquistam um conjunto de espectadores que está para lá do seu público alvo, este The Twilight Saga: New Moon mais não é do que o elemento irrelevante de uma saga que se anuncia como, também ela, praticamente desnecessária.
The Twilight Saga: New Moon, enquanto filme de ligação, avança a um passo muito próprio e francamente aborrecido... nada de novo adianta a esta história que quase reduz a uma participação especial um dos seus protagonistas, que entrega ao marasmo o outro e que condena a um passo semi-angustiante todo um conjunto de secundários que apenas confiam à boa sorte a sua presença nesta longa-metragem que se arrasta até à condenação tentando, de forma vã, obter algum reconhecimento enquanto integrante desta história.
Entre os protagonistas não existe química possível... Pattinson, figurante especial com meia dúzia de diálogos, está condenado ao esquecimento (poderia até ter resultado se, de facto, não tivesse participado neste título) e quanto a Stewart parece um fantasma apagado indecisa e incerta sobre o que está ali a fazer deixando até o espectador na mesma incerteza... terá esta longa-metragem sido planeada? Poderia ter sido condensada numa curta-metragem ligeira? Foi necessário para lá do claro e objectivo propósito de lucro na bilheteira? Despropositado em todas as frentes, The Twilight Saga: New Moon ignora o potencial dos seus actores - para lá do uso excessivo de muitos troncos nus e abdominais definidos -, do próprio argumento que os mesmos debitam de forma mecânica e teatralizada ao ponto de parecer tudo excessivo e desproporcional mantendo apenas os efeitos especiais CGI relativamente interessantes mas, no entanto, todos percebemos onde e quando surgem deixando o rasto de artificialidade a cada momento e por todos os elementos desta obra.
Obra "de passagem" - no seu sentido literal - que pouco convenceu e potencialmente a mais irrelevante de toda a saga, este The Twilight Saga: New Moon teve pouco brilho e assume-se como pouco interessante fazendo até do sofrimento das personagens algo aborrecido que não consegue criar empatia com os espectadores mais benevolentes e interessados em descobrir os destinos das mesmas ou até criar alguma familiaridade com a história romântica que aqui se pretende estabelecer deixando apenas em aberto a introdução de um conjunto de novas personagens, todas elas com os seus segredos que claramente vão ter a sua relevância nas obras futuras mas que, ao mesmo tempo, se assume como muita conjuntura e pouca clareza. Numa breve expressão... The Twilight Saga: New Moon perfeitamente olvidável mantendo - possivelmente - apenas algum interesse para os seguidores da saga literária que aqui a pretendem ver recriada cinematograficamente.
.
.
3 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário