sábado, 28 de fevereiro de 2015

Tonight It's Me (2014)

.
Tonight It's Me de Dominic Haxton é uma curta-metragem de ficção norte-americana que leva o espectador a uma inesperada viagem que une duas almas perdidas numa noite solitária.
CJ (Jake Robbins) é um prostituto que aceita alguns clientes masculinos para ganhar algum dinheiro. Depois daquele que parecia ser o último cliente da noite, CJ recebe uma última mensagem que o encaminha para casa de Ash (Caleb James), alguém que o surpreende por ser diferente dos seus clientes habituais.
Aquilo que aparentava ser apenas mais uma forma de ganhar algum dinheiro rápido, funde-se num encontro com o desejo, o prazer e a entrega estranhamente se revelam.
Numa história cujo argumento é da autoria de Dominic Haxton, Eric Jett, Charles Mallison e Jake Robbins, o espectador deixa-se levar por um misto de momentos que inicialmente confundem pela previsibilidade do momento mas que rapidamente se transforma numa conto diferente. De vazio de emoções a uma história de curiosidade e consequente desejo e entrega, Tonight It's Me relata-nos a história de duas almas perdidas, sem destino e que se entregam de forma fácil ao primeiro que lhes dispensa alguma atenção. Se para "CJ" esta entrega tem como fundamento único o dinheiro rápido e fácil, para "Ash" a história ganha contornos mais pessoais quando aparenta assumir que este recurso a prostitutos é a única forma que tem de obter algum contacto sexual.
Desta forma, e considerando a improbabilidade de existir qualquer química entre ambos, este encontro rapidamente se mostra cúmplice e para lá de sexual... terno. A entrega que ambos assumem entre si é imediata e apesar do encontro ter um propósito monetário, o espectador percebe que a química que se desenvolveu entre ambos torna-o - ao dinheiro - um elemento secundário de um noite que aparenta ser perfeita. Esta cumplicidade revela-se ao espectador não só pelos comportamentos para lá de sexuais mas também pela pequena troca de palavras que ambos têm nomeadamente quando ao contarem verdades e mentiras sobre as suas vidas os dois revelam que já mataram alguém. O alguém é, na prática, a pessoa que foram antes de se encontrarem naquele exacto momento. Se para "CJ" foi a morte do seu "eu" inocente e eventualmente de uma cidade pequena que fugiu rumo a uma eventual vida melhor (não conseguida), para "Ash" esse outro "eu" é o seu próprio lado masculino que aos poucos tenta abandonar como podemos perceber pelas injecções de hormonas com as quais se auto-medica aguardando lentamente a transição para a mulher que sente ser.
A morte - assim meramente figurativa como retrato de um processo evolutivo - acompanha-os a cada dia ao mesmo tempo que os impede desse seu outro "alguém" poder ter uma vida normal. Na teoria desejaram-no mas na prática a negação do que foram isola-os no seu espaço que, para "CJ" parece não passar do banco do seu carro.
A criar o ambiente perfeito de duas almas que se encontram numa perfeita decadência temos a música original de Justin Marshall Elias, sombria não pelo seu lado medonho mas sim pela sua melancolia eterna, bem como a direcção de fotografia de Matthew Chavez que centra toda a acção numa noite que parece não ter fim onde ambos se "enterram", para depois terminar com o clarear de um dia onde todas as revelações são feitas no silêncio de olhares e na troca de escassas palavras.
Surpreendentemente positiva por não cair nos lugares comuns da maioria das curtas-metragens do género, Tonight It's Me consegue criar uma química perfeita entre os dois actores que dão vida, cor e muita alma a uma história tendencialmente triste e de solidão onde um improvável amor nasce graças à forma como "CJ" e "Ash" se entregam e silenciosamente assumem precisar de alguém que os conheça para lá dos estereótipos.
.

.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário