segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Le Maillot de Bain (2013)

.
Le Maillot de Bain de Mathilde Bayle é uma curtas-metragem francesa de ficção presente na competição internacional do Córtex - Festival de Curtas-Metragens a decorrer em Sintra no Centro Cultural Olga de Cadaval.
Rémi (Roger Manning) é um miúdo de dez anos que durante umas férias num parque de campismo desenvolve um inesperado fascinado por Stéphane (Stanley Weber) um homem de 35 anos e pai de uma sua amiga.
Enquanto todos ignoram este desconhecido sentimento de Rémi, incluindo o próprio Stéphane, a jovem criança deambula pelo parque enquanto observa os comportamentos do pai da sua amiga e sonha com uma proximidade afectiva com o mesmo.
Mathilde Bayle apresenta-nos esta sua curta-metragem que recupera uma ideia de "cinema de Verão" onde durante umas férias entre amigos ou familiares se desenvolve uma paixão quase sempre secreta ou proibida. Aquele mesmo Verão onde todos os sentimentos são colocados à prova e onde se (re)descobre uma capacidade inata de amar e de querer ser amado. Amor esse que, no entanto, está "condenado" aos escassos meses em que a época estival perdura e que após o mesmo ficará para sempre salvaguardado na memória daqueles que o viveram.
É então neste espírito que Bayle nos faz viver a descoberta não de um "amor" mas sim de uma personificação do desejo através do pensamento desta jovem criança para com alguém que é, na sua ideia, aquele que desperta a sua sexualidade. Contexto este que, em diversas ocasiões, toca de muito perto uma relação que não sendo assumida se torna perigosamente ilegal mas procurada pelo mais jovem num segredo que só nós espectadores sabemos estar a ser por ele "vivida".
Num contexto em que todas as personagens em seu redor se tornam meramente decorativas, o "Rémi" de Roger Manning é não só aquela que determina toda a continuação do enredo como nos aproxima de uma história que tem algo de perigosamente sinistro misturado com a habitual história da descoberta e da sexualidade. Não nos esquecendo que esta é uma criança com uns meros dez anos de idade, Manning consegue retratar com a sua sólida interpretação, uma história de desejo, de idealização e de quase perseguição que inicialmente nos cativa pela sua honestidade mas que rapidamente se desloca para um perigoso campo que para "Stéphane" poderia comprometer toda a sua vida.
Weber, assume-se (é assumido) como um objecto de um desejo e de uma beleza proibidos aos olhos de um jovem que o quer ignorando (ou desconhecendo) qualquer tipo de barreiras que obrigatoriamente os afastam e tentando sempre uma proximidade que tem de ser forçosamente escondida e que o próprio faz por que ninguém a perceba.
Bayle consegue assim recriar uma atmosfera que tem tanto de fascinante pela abordagem dada à descoberta e identificação sexual e sentimental que dá à personagem de "Rémi" como de perturbante e assustadora quando percebemos que esse despertar se dá não para com outra criança com quem passe os seus dias mas sim para com um adulto que quase desconhece a sua existência, conseguindo assim ter uma das mais fortes e intrigante curtas-metragens da secção internacional ao ponto de nos deixar incomodados com as consequências que poderiam ser firmadas para as personagens aqui presentes sendo que, ao mesmo tempo, reflecte sobre a descoberta do "eu" raramente abordada numa personagem de tão jovem idade, constituindo por isso uma notável interpretação do jovem Manning.
Um breve destaque para a direcção de fotografia de Nicolas Mesdom que é bastante eficaz na recuperação do ambiente estival e das cores e contrastes de luz de um Verão quente bem como na capacidade de ficcionar um sonho de uma jovem criança que tenta descobrir-se e aos seus desejos, jogando com as luzes e as incertezas de pensamentos e imagens para nos inserir nos seus sonhos e caprichos.
.
.
9 / 10
.
 
.

Sem comentários:

Publicar um comentário