terça-feira, 11 de junho de 2013

Roadrunner (2008)

.
Roadrunner de Kiah Roache-Turner é uma curta-metragem de suspense australiana que inspirou um dos mais antecipados filmes de terror do país Wyrmwood, do mesmo realizador.
Dois tipos dentro de um carro com um outro preso e encapuçado no banco de trás. Preparam-se para um assassinato ao estilo de execução quando algo na sua arma corre mal. Depois do misterioso encapuçado conseguir fugir, um banho de sangue está iminente na vida daqueles com quem eles se cruzam... e não só.
O cinema australiano está intimamente ligado ao grande sucesso do final dos anos 70, e possivelmente o maior épico à data do género, que foi Mad Max que se torna no único do género road-movie apocalíptico. As referências para a posteridade são inúmeras e esta curta-metragem não é disso excepção. Já não falando na semelhança óbvia dos automóveis, a referência mais explícita chega pela matrícula do mesmo "Max" sendo que, no entanto quem aqui o conduz não é o herói do filme mas sim os marginais que perseguem uma vítima inocente, neste caso já capturada.
Sem grandes explicações quanto aos motivos que levam aqueles dois homens a terem capturado o encapuçado, ou tão pouco sobre os porquês de o quererem eliminar, o que é certo é que o argumento escrito por Roache-Turner, leva todos os intervenientes a um igualmente estranho banho de sangue que não ter fim mas que consegue ao mesmo tempo salvar a vítima que parece protegida por mão divina e nos confere uma vontade enorme de que este filme não durasse apenas sete minutos pois todo o ambiente recriado é contagiante em demasia.
Com claras referências ambientais que nos ligam à já referida longa-metragem em fase de produção, esta curta-metragem é um interessante ensaio sobre a violência (gratuita ou não fica por saber) e à comédia negra que espero voltar a ver no universo particular e característico de Roache-Turner que, a seu tempo, será muito brevemente uma referência no cinema "aussie".
.
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário