sábado, 6 de abril de 2019

The Good Fight (2017)

.
The Good Fight de Marco Espírito Santo e Miguel Coimbra (Portugal) é um documentário em formato de curta-metragem cuja abordagem ao mundo do boxe chega pela acção de Jorge Pina, ex-pugilista que recolhe jovens de bairros desfavorecidos para os treinar. Ao espectador, ainda que por breves momentos, é revelado o laço de cumplicidade e amizade que se forma e firma ao longo do treino e a acção de um homem que tem, ele próprio, os seus próprios segredos (para o espectador).
É no final deste brevíssimo documentário que são revelados os elementos que, potencialmente, poderiam fazer desta curta uma longa-metragem na qual fosse explorada toda a acção humanista - arrisco dizê-lo - de um homem que poderá ser para a maioria de nós um qualquer desconhecido com o qual nos cruzamos nas ruas.
Jorge Pina não é um homem qualquer que um dia resolveu dar um pouco de si a jovens que se poderiam perder nas ruas de um bairro de uma qualquer cidade. Pina é atleta. Já percorreu a maratona de Paris mas, no entanto, foi em 2004 que ficou invisual. Dos Paralímpicos a uma acção humanista, este documentário revela então não só a sua paixão pelo desporto - mais concretamente o boxe -, como também a sua capacidade de ensinar a sua arte e criar laços de camaradagem nos jovens que ensina e que acompanha.
Com uma importante mensagem a transmitir que, no entanto, se limita a escassos dez minutos, The Good Fight poderá não só ser um paralelismo entre a luta de um atleta que poderia ver na sua limitação o fim de uma paixão mas também (e principalmente) a forma como reagiu à adversidade e a transformou num trunfo que utiliza para ser alguém capaz de criar empatia com essa paixão que sempre sentiu... o boxe. Digno de um registo em longa-metragem onde tantos pequenos detalhes poderiam e deveriam ser explorados (principalmente a história do "eu"), este documentário prima sobretudo pela sua mensagem e pela forma como a dupla de realizadores conseguiu criar uma história factual que, no entanto, surpreende pelo poder desse inesperado final.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário