quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Carne de Gaviota (2015)

.
Carne de Gaviota de Felipe Espinosa é uma curta-metragem espanhola de ficção que nos relata a odisseia de Roberto (Christian Stamm), Susana (Bianca Palmisano) e Marc (Toni Climent) naufragaram numa olha deserta.
Enquanto tentam sobreviver fisicamente, as alterações à sua mente denotam um cansaço e alguma desistência de que serão salvos. E quando tudo parece estar perdido, são revelados alguns segredos sobre as suas personalidades.
Contada num paralelo entre o passado na ilha e o presente oito anos depois de "Roberto" e "Marc" terem sobrevivido à mesma, o espectador assiste à tensão existente entre os dois homens que para lá de terem partilhado aquela experiência, partilharam também a mulher que de lá não saiu. A tensão sentida entre os dois percebemos se dever única e exclusivamente a "Susana" que viveu um casamento e uma paixão simultâneamente com os dois homens e que para lá do esperado acaba por deixá-los sózinhos naquela ilha revelando a sua condição de mulher e amante.
Num momento em que a condição física de cada um se vai degradando acentuadamente - especialmente a de "Susana" que ali chega ferida -, os dois homens vêem-se a braços com a sua própria debilidade e com os dramas sentimentais com os quais vão inesperadamente deparar criando dessa forma toda uma co-existência tensa e problemática.
Oito anos depois de sobreviverem àquele espaço que os marcou de forma irreversível, os dois homens voltam a encontrar-se em casa de "Roberto" que convida "Marc" para um inesperado jantar. Depois de alguma tensão e descoordenação - principalmente por parte de um ainda abalado "Marc" - as memórias afligem-nos e recordam aqueles fatídicos dias. "Roberto" serve carne de gaivota mas "Marc" reclama que o sabor é bastante diferente daquele alimento que os salvou na ilha.
Numa escalada de tensão que culmina com as verdadeiras consequências do ciúme e do despeito, Carne de Gaviota traça uma ténue linha entre a sobrevivência física e a psicológica relatando através dos seus acontecimentos que independentemente de existir uma resistência do corpo, a mente pode por diversas circunstâncias ficar interminavelmente afectada e que os factos, ainda que ultrapassados, jamais são esquecidos. Um coração traído jamais sai ileso da sua mais importante e trágica provação.
Com duas interessantes e igualmente tensas interpretações, Cristian Stamm e Toni Climent interpretam o homem despeitado e enlouquecido e o homem que nunca recuperou - física e psicologicamente - de uma "morte" sentimental. Carne de Gaviota é assim o registo de como o ciúme e a lucidez - ou falta dela - andam de mãos dadas convictos de que têm o poder da razão e a legitimidade dos actos inconsequentes.
.
.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário