terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Nella Tasca del Cappotto (2014)

.
Nella Tasca del Cappotto de Marco Di Gerlando é uma curta-metragem italiana que nos conta a história de Luca, um jovem rapaz introvertido que vive no seio das histórias que inventa para o acompanharem na sua solidão.
Pelos inocentes e infantis relatos que Luca faz graças à sua imaginação conseguimos, no entanto, perceber que a sua aparente fragilidade esconde não só uma coragem que o próprio desconhece como também um segredo ocultado pela sua fértil imaginação, com a qual forma uma aliança com o Rei Benjamin e o escudeiro Espártaco, duas marionetas com quem planeia defender a princesa de um perigoso vilão.
Marco Di Gerlando, que também escreveu esta história, entrega-nos um conto que vai para além da imaginação de uma criança, obrigando-nos a entrar não só numa componente em que a vemos como um ser solitário e fechado nos seus próprios pensamentos criando para si um mundo à parte dos demais, mas também uma trágica e bem actual realidade que ocorre dentro de muitos lares que, tantos deles, vivem mesmo ao nosso lado. A violência doméstica aqui retratada é, um flagelo que muitos insistem ainda em esconder, e que obriga aquela criança a crescer num mundo onde não consegue distinguir a realidade da ficção criada pela sua cabeça como um escudo de protecção face ao meio no qual é obrigado a viver, tornando-o assim numa criança solitária e isolada que não cria laços de afectividade com outras da sua idade mas sim com a própria imaginação na qual se refugia.
Refugio esse que inconscientemente cria como uma forma de se esconder do trauma que vive dentro de uma casa onde o ambiente se sente tenso, desconfortável e um perigo para a própria integridade física e psicológica que o jovem Edward Dring interpreta com uma forte sensibilidade e inocência que tanto tem de emocionante como de aterrador por conseguir espelhar os dramas escondidos dentro de quatro paredes que podem ser as que se encontram ao nosso lado.
No entanto Nella Tasca del Cappotto é, acima de tudo, uma curta-metragem que se coloca como um interessante objecto de alerta e de consciencialização para este drama social que destrói a individualidade e as almas daqueles que por ele passam e que nos mostra como por detrás de algumas histórias de encantar se encontram problemas reais que alguns são incapazes de revelar com a lucidez que alguém mais adulto aparenta ter e que a realização de Marco Di Gerlando transporta magnificamente para o ecrã com muita alma e dedicação, assim como com uma enorme fluidez ao conseguir estabelecer uma ligação entre a dolorosa realidade e um conto imaginado em que os vilões que tentam capturar a princesa têm afinal um rosto bem real.
.
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário