terça-feira, 16 de outubro de 2018

European Film Awards - European Achievement in World Cinema 2018

.
A Academia Europeia de Cinema anunciou hoje o nome do homenageado com o European Achievement in World Cinema de 2018 a premiar no decorrer da trigésima-primeira cerimónia dos European Film Awards a decorrer em Sevilha no próximo dia 15 de Dezembro... Ralph Fiennes.
.
.
O actor britânico nascido em Ipswich em 1962, iniciou o seu percurso cinematográfico no início da década de '90 com Wuthering Heights (1992), de Peter Kosminsky ao lado de Juliette Binoche. The Baby of Mâcon (1993), de Peter Greenaway foi a longa-metragem que precedeu Schindler's List (1993), de Steven Spielberg que valeu a Fiennes a primeira nomeação ao Oscar na categoria de Actor Secundário ao qual sucederam Quiz Show (1994), de Robert Redford e Strange Days (1995), de Kathryn Bigelow. The English Patient (1996), de Anthony Minghella traria a Fiennes a sua segunda nomeação ao Oscar agora na categoria de Actor Protagonista. Com o final da década, Ralph Fiennes surgiria como protagonista em Oscar and Lucinda (1997), de Gillian Armstrong, The Avengers (1998), de Jeremiah Chechik, na longa-metragem de animação The Prince of Egypt (1998), de Brenda Chapman, Steve Hickner e Simon Wells, Sunshine (1999), de István Szabó, Onegin (1999), de Martha Fiennes e em The End of the Affair (1999), de Neil Jordan.
O novo milénio começaria com a sua segunda animação The Miracle Maker (2000), de Derek W. Hayes e Stanislav Sokolov à qual se seguiriam Spider (2002), de David Cronenberg, The Good Thief (2002), de Neil Jordan, Red Dragon (2002), de Brett Ratner, no êxito comercial Maid in Manhattan (2002), de Wayne Wang ao lado de Jennifer Lopez, The Chumscrubber (2005), de Arie Posin, Chromophobia (2005), de Martha Fiennes, The Constant Gardener (2005), de Fernando Meirelles, na terceira animação vencedora de Oscar The Curse of the Were-Rabbit (2005), de Steve Box e Nick Park, The White Countess (2005), de James Ivory dando início, no mesmo ano, à sua colaboração como Lord Voldemort em Harry Potter and the Goblet of Fire (2005), de Mike Newell. Seguir-se-iam Land of the Blind (2006), de Robert Edwards, Bernard and Doris (2006), de Bob Balaban, Harry Potter and the Order of the Phoenix (2007), de David Yates, In Bruges (2008), de Martin McDonagh, The Duchess (2008), de Saul Dibb, no vencedor do Oscar de Melhor Filme The Hurt Locker (2008), de Kathryn Bigelow, The Reader (2008), de Stephen Daldry, Nanny McPhee and the Big Bang (2010), de Susanna White, Clash of Titans (2010), de Louis Leterrier, Cemetery Junction (2010), de Ricky Gervais e Stephen Merchant, Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 1 (2010), de David Yates aos quais se seguiram Coriolanus (2011),a sua estreia na realização e Harry Potter and the Deathly Hallows: Part 2 (2011), de David Yates.
Em 2012 Ralph Fiennes participaria em Wrath of the Titans, de Jonathan Liebesman, Great Expectations, de Mike Newell e Skyfall, de Sam Mendes aos quais sucederiam The Invisible Woman (2013), que o próprio realizou, The Grand Budapest Hotel (2014), de Wes Anderson e nas curtas-metragens The Hogwarts Express (2014) e Harry Potter and the Escape from Gringotts (2014), de Thierry Coup, e Mesyats v Derevne (2014), de Vera Glagoleva, National Theatre Live: Man and Superman (2015), de Simon Godwin, A Bigger Splash (2015), de Luca Guadagnino, Spectre (2015), de Sam Mendes, Hail, Caesar! (2016), de Ethan Coen e Joel Coen, na curta-metragem The Works (2016), de Elliot Barnes-Worrell, Richard III (2016) e nas longas-metragens de animação Kubo and the Two Strings (2016), de Travis Knight e The Lego Batman Movie (2017), de Chris McKay, The White Crow (2018) novamente dirigido por si e Antony & Cleopatra (2018), de Simon Godwin tendo ainda por estrear Holmes & Watson (2018), de Etan Cohen, The Voyage of Doctor Doolittle (2020), de Stephen Gaghan e sem data por estrear Official Secrets, de Gavin Hood e Hallelujah!, de Chris Addison.
Para lá das já mencionadas nomeações a dois Oscars da Academia norte-americana de cinema, Fiennes foi ainda nomeado por cinco vezes aos Globos de Ouro da Imprensa Estrangeira nos Estados Unidos, é vencedor de um BAFTA por Schindler's List num total de seis nomeações e de um European Film Award por Sunshine entre inúmeros outros troféus e nomeações nos mais diversos festivais de cinema e da crítica especializada.
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário