quarta-feira, 16 de setembro de 2015

I Am Sami (2014)

.
I Am Sami de Kae Bahar é uma curta-metragem de ficção britânica cuja acção se desenrola num Iraque ocupado pelas tropas da coligação americana-britânica.
Sami (Bawar Landon) é uma jovem criança que vive na zona de guerra e que para sobreviver e ocupar o seu tempo se dedica a fazer favores aos locais. Um dos seus melhores amigos é Oscar (Nick Court), um soldado americano que com ele simpatiza e o deixa passar as linhas de controlo.
Mas, quando os soldados invadem a casa de Sami e um dos líderes locais lhe dá ordem para entregar uma encomenda junto dos americanos, as amizades são testadas e os limites da compreensão ultrapassados.
Esta interessante curta-metragem transporta o espectador para os difíceis dramas de um cenário pós-guerra mas onde a ameaça é sempre uma constante. Se por um lado temos uma pequena cidade pacificada e onde tudo parece correr com uma normalidade sentida, não é menos verdade que o sentimento de ocupação e a presença de uma força estrangeira dominante são, também elas, sentidas desde o primeiro instante. Pelo meio temos uma jovem criança - "Sami" - que habituado que está a ver estas pessoas com hábitos distantes dos seus, se deixa seduzir por uma improvável amizade com um soldado - "Oscar" - que vê nele um simpático miúdo que lhe consegue arranjar produtos que façam da presença dele naquele país menos difícil.
Os dois formam esta invulgar amizade, respeitam-se e simpatizam com o "outro" sem grandes perguntas colocadas... um porque tem preocupações maiores como a manutenção de paz e segurança e o outro porque é, na prática, jovem demais para ver qualquer tipo de maldade nas acções e práticas alheias. Para lá de se tolerarem, "Sami" e "Oscar" são amigos. Mas nem tudo corre como se poderia esperar e por detrás de uma qualquer sombra, paciente e sempre à espreita por uma janela aberta está quem se prepara para o novo golpe.
No entanto, o que acontece se as acções desse esperado mal não são aqueles que equacionamos e será sim a amizade mais pura que está prestes a ser testada? O que acontecerá se afinal o suposto amigo tem de cumprir ordens superiores e ameaçar a tal tranquilidade que "Sami" sempre teve? O que acontece quando esta jovem criança sente os horrores da guerra - e das suas consequências - quando esta não lhe bate à porta mas entra sim de rompante ameaçando toda a segurança que até então sentiu sem nela pensar? No final, a grande pergunta que se coloca é o que acontece quando o mal não está por detrás de um rosto expectável mas sim daquele que nos acompanha diariamente e nos garante segurança, conforto e tranquilidade?
Filmado no Curdistão Iraquiano com um ambiente natural agreste pela sua rudeza que é francamente compensado com a leve e enérgica interpretação de Bawar Landon, I Am Sami mostra-nos o outro lado da guerra... Aquele lado que pensamos ser inexistente mas que persiste ano após ano sem se anunciar tornando-se parte integrante das vidas daqueles que por ele passam. Aquele outro lado que forma amizade mas que ao mesmo tempo semeia rancores, indiferença, medo e suspeitas destruindo lentamente a inocência que os mais jovens ainda têm.
.

.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário