sábado, 12 de março de 2011

Daybreakers (2009)

.
Daybreakers - O Último Vampiro de Michael Spierig e Peter Spierig conta com um dinâmico elenco onde se destacam nomes como Ethan Hawke, Sam Neill e Willem Dafoe, num filme que além do magnífico trabalho visual não adianta em grande coisa ao tema que tem.
Neste filme temos o retrato de um mundo onde a população é maioritariamente vampira e onde os poucos humanos que existem não só se encontram à beira da extinção como também são a única fonte de alimento que os vampiros têm. Como tal vivem escondidos e a fugir de uma captura que os tornará, literalmente, alimento num talho.
É neste contexto que Edward (Hawke) trabalha tendo como finalidade a obtenção de uma cura que evite a morte dos humanos às mãos dos vampiros. Um dia conhece Lionel (Dafoe) um outrora vampiro e agora humano recuperado que luta pela sobrevivência de um punhado de humanos enquanto tentam resistir aos ataques cerrados de Charles (Neill) um vampiro dono de uma poderosa indústira de sangue que mantém vivos os milhões de vampiros que povoam a Terra.
Visualmente rico graças ao excelente trabalho de fotografia da autoria de Ben Nott que não só dá um ar mais carregado e nocturno a uma Terra desprovida de vida durante a luz do sol como também cria um cenário mais sombrio e sóbrio em tudo o que rodeia as vivências diárias do grupo predominante.
No entanto, por muito positivo que seja este aspecto, e que o é, não deixa também de ser verdade que este filme perde-se literalmente em pequenos enredos paralelos que em nada ajudam à credibilidade do filme como por exemplo o facto de existir um grupo de vampiros marginais que ao mesmo tempo que é interessante saber da história deles esta acaba por não ser realmente explorada, exceptuando em uma ou duas ocasiões utilizadas apenas como justificativas de... outros pequenos enredos.
No entanto, verdade seja dita, é de aplaudir as brilhantes sequências de perseguições e especialmente os momentos finais do filme em que é finalmente revelada a cura contra a "doença vampírica" e em que assistimos àqueles que são possivelmente os momentos mais violentos do filme, dignos de registo de uma época que estará também ela a assistir ao seu final.
Apenas a título de curiosidade, é de registar a quantidade de filmes que vão saindo nos últimos tempos sobre o fim dos tempos, sejam eles os da Humanidade, os de um grupo, de uma classe, ou apenas de um qualquer aspecto que alguém se lembra de recriar... Nesta medida é interessante de ver e de pensar no que se passa à nossa volta.
.

.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário