segunda-feira, 28 de outubro de 2013

The Irrefutable Truth About Demons (2000)

.
Demónios - Toda a Verdade de Glenn Standring é uma longa-metragem neo-zelandesa que passou pelo Fantasporto - Festival Internacional de Cinema do Porto há alguns anos e que remete o espectador para o imaginário de Harry (Karl Urban) um professor e investigador universitário que se vê a braços com uma conspiração sobrenatural num submundo onde os demónios são reais.
Perseguido por uma seita que vê nele o redentor para a vida eterna do seu líder, Karl tem de viver num limbo entre dois mundos onde todos aqueles que ama desaparecem misteriosamente.
Dito isto, e para os apreciadores do género fantástico/sobrenatural, The Irrefutable Truth About Demons parece conter todos os ingredientes para ser um daqueles marcos que jamais esquecerão não só provocando os esperados momentos de tensão como também alguma credibilidade nos efeitos que se esperam sejam utilizados. E se inicialmente parece que o espectador vai ter - e assistir - a um desfile sangrento onde a tensão não poupa os mais desprevenidos, certo é que aos poucos percebe o espectador que aquilo que aqui se tem é mais uma obra amadora e pouco preparada do que propriamente uma história de terror ou sobrenatural que impressione pela sua originalidade. A inexistente tensão dá lugar a uma previsibilidade assustador no que diz respeito à linha narrativa colocando não só o tema central como os seus actores num quase cómico de situação que os ridiculariza mais do que os transforma em personagens execráveis que o espectador ama odiar. As vítimas, sempre culpadas dos seus medos por aquele "charro" que fumaram antes de todos os acontecimentos ganharem forma, rapidamente se transformam em indiferentes e a pouca empatia que por eles é criada distancia o espectador do seu drama pessoal presente e passado.
Se Karl Urban - aqui ainda um quanto baste alegre desconhecido - tenta dar credibilidade aos dramas sentidos pelo seu "Harry" elevando-o não ao estatuto de vítima mas sim a de um curioso a quem todos os acontecimentos parecem aproximar de um irmão desaparecido sob circunstâncias duvidosas não convencendo, no entanto, com a sua cruzada contra uma entidade do mal que cresce lentamente nos recantos mais ocultos de uma cidade aparentemente perdida para as forças do mal, é também certo que aqui esse mesmo "mal" encarnado por um "Le Valliant" (Jonathon Hendry) não só não assusta, não convence e tão pouco parece realmente "concentrado" em deixar o nosso herói de rastos limitando-se a com ele ter alguns interlúdios mais ou menos filosóficos - dentro do género - onde parece que um bom coração vale mais do que mil palavras... e tudo piora quando aqueles que se escondem por entre as sombras - also known as "demons" - se lembram de respeitar aquele que deveriam temer e amordaçar (ou devorar) quem não cumpriu com os seus deveres com o "mal".
No final pergunta-se o espectador... terei estado a assistir a um filme sob a proliferação do mal nas sombras de uma cidade aparentemente inocente ou, por sua vez, a um conjunto de personagens centradas na sua própria loucura e esquizofrenia - afinal, muitos dos elementos que o poderiam comprovar encontram-se por lá - e no consumo de drogas que os deixa "para lá" do normal?! Se as dúvidas persistem a certa altura... os momentos finais comprovam que se calhar a loucura... não é tanta como se pensa!
Repleto de lugares comuns que opõem bem ao mal... verdade à mentira--- real à ilusão..., de momentos ou explorações satânicas já vistas e com mais e melhor qualidade ou, pelo menos, bem mais credíveis, The Irrefutable Truth About Demons não consegue catapultar-se para lá do série B - fraquinho fraquinho! - que promete mais do que aquilo que se propõe de facto a cumprir ao mesmo tempo que ridiculariza os seus actores, a sua capacidade de dramatizar esse mesmo elogio à loucura - se é que existe - deixando o terror de lado limitando-se - para ele - a entregar ao espectador breves apontamentos sobre como o mal (ou a loucura) se instala sem que dela ninguém suspeite.
Fraco, frágil e dotado de pouca massa encefálica - provavelmente como a maioria das personagens que por aqui co-habitam que vivem e permanecem a tempo inteiro nos lugares comuns e esperados em longas-metragens do género - The Irrefutable Truth About Demons deixa-se limitar pelo banal e sem graça estando longe - muito longe - de ser uma daquelas referências do género sobrenatural no qual se diz estar inserido.
.

.
3 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário