quinta-feira, 8 de outubro de 2015

A Drop of Blood (2015)

.
A Drop of Blood de Bekim Guri é uma curta-metragem de ficção kosovar que se insere num âmbito de drama social ao retratar o tema de uma violência doméstica vivida em silêncio.
A filha tem de proteger a honra da família. Esta honra passa pela sua pureza e pelo respeito das ordens familiares que a entregam a um homem escolhido pela família. Se este elo de respeito é quebrado... o marido pode pôr termo à vergonha a que foi sujeito... matando-a. É com esta premissa que se desenvolve toda uma história contada no silêncio de quatro paredes que abafam o que ali se passa do mundo exterior.
Nada pior para alguém do que viver no medo de que a sua liberdade esteja condicionada e, dentro daquela casa, percebemos que as três mulheres que nela habitam o sentem e vivem já de longa data. Se a mãe tenta remediar a situação com curas milagrosas que não funcionam a longo prazo num silêncio que se percebe poder vir a ser prejudicial para ela, não é menos verdade que as duas filhas - que eventualmente cresceram no mesmo ambiente - o sentem e pressentem para o seu futuro.
Tudo começa com a revolta de uma das filhas que pinta os lábios ao preparar-se para uma noite com o namorado. De casamento preparado pelo pai, ela sente que a sua vida é mais do que aquilo que lhe está programado e na rebeldia que a idade lhe confere, deseja decidir sobre a sua vida mesmo contra as regras que a "honra" lhe ditam.
Por perto está uma irmã mais velha que parece uma observadora silenciosa e psicologicamente distante e uma mãe que fala sobre a tradição, a honra e os valores impostos pelo chefe da casa. É neste contexto que as três mulheres falam e que as revelações revelam o que aquelas quatro paredes escondem... as feridas, os tormentos, a violência - física e psicológica - e as reais traições de que todas têm, no fundo, sido vítimas... sempre silenciosas.
Aquela casa que deveria ser o primeiro e mais importante espaço de segurança para estas mulheres revela-se como a sua prisão "segura", aquele espaço que todas sabem ser o único ao qual podem recorrer mas que, ao mesmo tempo, as condiciona na sua existência e no seu sofrimento. Quanto tudo o que têm é a amargura da vida, como podem elas confiar no que seja que pode aparecer pela sua frente?
A Drop of Blood é assim um retrato mordaz e desarmante sobre a traição maior, ou seja, aquela perpetrada no seio de um lar e da família que é o grupo primária de confiança de qualquer indivíduo. No final o espectador questiona-se sobre a sua própria formação, sobre a sua vida e como esta poderia ser completamente diferente se tivesse nascido na porta do lado, no país vizinho ou numa cultura assumidamente diferente da sua onde os valores e as tradições podem diferir drasticamente.
Bekim Guri, que já nos havia entregue a esmagadora curta-metragem Heshtje, chega agora com este seu novo trabalho onde, uma vez mais, desafia as noções de uma cultura - ou daquilo que dela resta - demonstrando que o recurso último da sobrevivência humana pode muito bem residir na morte do "outro" pelas mãos de um "eu" que já foi morto - psicologicamente pelo menos - primeiro. À semelhança daquilo que já havia documentado com Heshtje, Bekim Guri procura assim uma vez mais demonstrar que medo e liberdade andam curiosamente de mãos dadas e que só na isenção do primeiro se poderá verdadeiramente encontrar o segundo.
.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário