quinta-feira, 8 de outubro de 2015

...Y Emplumaré Mis Alas (2015)

.
...Y Emplumaré Mis Alas de Jafet Molina Martínez é uma curta-metragem de animação mexicana que une em breves oito minutos o sagrado e o profano numa curiosa e estranha ambiência.
Uma figura demoníaca curva-se e lamento pelo espaço sombrio em que se encontra... Mas um dia observa um anjo vindo dos céus e dele recolhe uma pena que cai. Poderá ele alguma vez ascender aos céus?
Num registo de animação que vive não só da sua excelentemente executada música que cria um ambiente fiel ao mais digno dos filmes de terror e suspense, ...Y Emplumaré Mis Alas cria uma curioso história que nos deixa na dúvida sobre quem será o verdadeiro receptáculo do mal.
Se não deixa de ser verdade que ...Y Emplumaré Mis Alas nos apresenta uma figura macabra e de forma assustadora, não é menos verdade que cedo percebemos ser um ser sofrido pelas amarguras do local em que se encontra desprovido de qualquer sinal de vida. É quando se curva perante a sua própria desgraça que o espectador percebe que este - outrora - anjo está agora caído em desgraça mantendo a estrutura das suas asas mas estando estas despojadas das penas que o poderiam fazer voar.
Abandonado à sua sorte, é quando uma luz vinda do céu que revela outro ser que poderia eventualmente ser da sua espécie, que ele ganha esperança - curiosa escolha de palavra se pensarmos no local sombrio em que se encontra - e que em clamor dá graças pela figura - feminina - que vislumbra.
É quando uma pena cai e que ele a agarra que os seus sonhos voltam a emergir ao pensar que poderá uma vez mais - deduzimos que seja esse o seu desejo - ascender aos céus de onde foi afastado por uma ou outra circunstância que nunca é revelada ao espectador.
É com o avolumar das penas que emanam luz que consegue finalmente voar mas como tudo o que não é natural... rapidamente se perde. Numa ascenção tão rápida quanto aquela feita por Ícaro - a quem o sol queimou as asas - também este demónio é afastado de um caminho para a glória do céu por lá chegar pela fraude de um conjunto de asas que não são as suas.
Se por um lado o espectador se questiona sobre quem é realmente mau - aquele que tem uma aparência mais disforme ou aquele que confere uma esperança para de seguida a retirar impiedosamente -, por outro fica também a questão sobre o porquê de se encontram naquele espaço desprovido de vida e de glória e o seu aspecto ser tão repelente e diferente daquele que emana luz e vida. A glória não estará ao alcance de todos mas será que aqueles que a têm devem exibi-la e usá-la em desprimor dos demais?
De realização, argumento, animação e música original a cargo de Jafet Molina Martínez, ...Y Emplumaré Mis Alas revela-se como uma curiosa animação que coloca em confronto o bem e o mal mantendo, no entanto, em suspenso sobre qual das duas personagens encarnam os diferentes polos... porque nem sempre o que é belo é bom... nem tão pouco o que aparenta ser hediondo é sinal da encarnação do mal... ou será?
.

.
8 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário