quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Straight Outta Compton (2015)

.
Straight Outta Compton de F. Gary Gray é uma longa-metragem norte-americana e uma das mais falada para esta próxima temporada de prémios que se aproxima.
Vindo das ruas de Compton, Los Angeles, os NWA emergem das ruas conturbadas de uma cidade a braços com sérios problemas raciais.
A braços com vidas marcadas pela marginalidade, droga e falta de oportunidades, Ice Cube (O'Shea Jackson Jr.), Dr. Dre (Corey Hawkins) e Eazy-E (Jason Mitchell) decidem levar a sério a sua veia musical e tentar a sorte num mundo que não os reconhece enquanto artistas e falar dos seus problemas, das suas vidas, das suas disputas e principalmente das questões e preconceitos que os afectam enquanto artistas afro-americanos.
Ainda que Straight Outta Compton seja aquele filme do momento - no que diz respeito aos Estados Unidos - muito dominado por questões raciais que parecem ainda hoje abalar as fundações do país, o que é certo é que para lá das suas fronteiras esta é uma história perfeitamente banal e difícil de vingar sendo ainda, por vezes, excessivamente longa para a mensagem que pretende transmitir. Ainda que a realidade do "bairro", do desrespeito pela multiculturalidade, dos gangs armados ou até mesmo da falta de oportunidade em "ser alguém" explícita nesta realidade norte-americana seja um problema que afecta tantas outras sociedades, a verdade é que se distancia ferozmente daquilo que aqui conhecemos. Enquanto na sociedade norte-americana existe uma certa tendência para acreditar no sonho e no alcance do mesmo, tal não acontece em qualquer sociedade europeia onde implicitamente esse sonho não passa disso. Assim, se por um lado podemos identificar problemas comuns não é menos verdade que a sua resolução ou tentativa de diferem de forma radical entre os dois lados do Atlântico tornando a proximidade a esta longa-metragem difícil e por momentos incompreensível.
O bairro como o elemento principal de onde todos saem mas do qual nunca se esquecem mantendo para sempre uma ligação inviolável - mas apenas acentuada nos momentos de crise onde todos parecem não ter outro local ao qual recorrer - é assim o ponto de partida para um conjunto de realidades que tendo o mesmo percurso se distanciam na forma como o desfecham. Para uns o poder do dinheiro, da fama, glória e reconhecimento mais não é do que a ponto de partida para uma vida de vícios que têm como resultado último a perdição e a (auto-)condenação de onde será impossível fugir. Alguns destes nomes ainda que conhecidos nos Estados Unidos pecam, uma vez mais, por não se internacionalizar para lá de meios específicos que seguem as respectivas carreiras - sim, é um facto que qualquer um de nós conhece Ice Cube mas quantos de nós conhecerão realmente a sua história? - e, dessa forma, Straight Outta Compton não deixa de ser outra coisa que não "mais um filme de bairro". Sexo, drogas, violência e excessos dominam esta história - real - sendo que o que achei de mais interessante neste filme acaba por ser aquilo que se torna num ponto de partida - mais básico - quando na realidade deveria ser o elemento mais forte de toda esta dinâmica, ou seja, a questão racial. Todos nós recordamos o caso Rodney King e a sentença que os seus agressores tiveram - nenhuma - e ainda que esta seja uma questão de fundo central, não é menos verdade que se torna quase como um elemento de ocasião e pouco relevante para a história do grupo de amigos que, no fundo, mais não exigia do que a sua plena igualdade face aos demais cidadãos.
Interessante pela forma como recupera uma época específica e a já referida questão racial sempre presente neste género de histórias mas, ao mesmo tempo Straight Outta Compton está longe de se afirmar como um filme marcante no género principalmente se nos recordarmos de Boyz n the Hood, de John Singleton (1991) ou até mesmo como um dos mais significativo do ano limitando-se a exibir um conjunto de interpretações protagonistas essas sim que se destacam pelo seu empenho e excelência e uma banda-sonora que faz denotar alguns dos temas mais emblemáticos do Hip Hop.
.

.
"Ice Cube: Speak a little truth and people lose their minds."
.
5 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário