domingo, 23 de outubro de 2011

The Mangler Reborn (2005)

.
Mangler Reborn - O Massacre Continua de Erik Gardner e Matt Cunningham é o perfeito filme para se poder dizer que adoramos detestar. Não só é um filme de terror feito como sequela como além disso é feito directamente para o mercado de aluguer que é como quem diz passa "quase" completamente despercebido. Isto claro, até ao dia em que um qualquer canal de televisão o resolve passar às tantas da manhã e assim dizer que tem um ciclo de cinema de terror.
Dito isto temos a continuação da história da máquina que se apodera da mente de um qualquer humano de "segunda categoria", aqui na pele de um canalizador suburbano, e que se diga magnificamente interpretado por Weston Blakesley, que entra num ritual de matança às ordens da respectiva devoradora de carne humana.
Não só assistimos a uns quantos raptos dignos de um filme de terceira categoria que mais vontade de rir dão do que susto, se bem que existe aqui um misto de ambos, como além disso chega uma dada altura que temos um literal banho de sangue e de grotesco que não lembra a ninguém.
Por um lado o filme aparenta logo de início não ser lá grande especialidade, mesmo para o género que representa, no entanto, por outro lado, é certo que é daqueles filmes que nós simplesmente não conseguimos deixar de ver do princípio ao fim (eu que o diga que vi duas vezes quase seguidas).
Os cenários são pobres. Facilmente seriam filmados numa qualquer vivenda abandonada no meio do nada pois é isso que, no mínimo, aparenta a casa onde os reféns se encontram.
Por sua vez o argumento não só é pobre e completamente previsível como recorre àqueles clichés típicos deste género de filmes. Temos uma casa supostamente deserta durante a maior parte do dia mas, note-se que há sempre um "mas", há sempre um ladrão pronto para entrar naquela casa específica e efectuar aí o "assalto do ano", e isto com dezenas de outras casas mais apelativas nas redondezas.
Obviamente que não é uma especialidade mas também não deixa de ser óbvio que é um filme que nos entretém e deixa, não direi bem dispostos mas... satisfeitos como a noite cinematográfica. Não pela qualidade do filme pois na prática, e com o devido respeito para todos os intervenientes, não a tem, mas sim pela capacidade que tem de se tornar um filme que queremos ver. Aquele filme que, como disse logo no início, adoramos detestar.
Tenho a certeza que os fãs do género, e possivelmente apenas e só esses, conseguem perceber exactamente aquilo que pretendo transmitir. Que ninguém vá a pensar que é um filme de terror que irá provocar muitos sustos pois isso... nem de longe.
.
.
2 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário