quinta-feira, 26 de abril de 2012

Sorum (2001)

.
O Terrível Segredo de Yun Jong-Chan foi o vencedor dos prémios de Melhor Actriz e Melhor Realizador na edição de 2002 do Fantasporto bem como ainda recebeu no mesmo certame o Prémio Especial do Júri.
Tudo começa quando Yong-hyun, um taxista aparentemente desprendido da vida, se muda para um prédio que assume ser-lhe familiar não sabendo bem o porquê.
Após se instalar no apartamento onde o anterior inquilino literalmente ardeu, Yong-hyun conhece Sun-yeong (Jin-Young Jang), uma mulher vítima dos sistemáticos maus tratos do senhor abusador marido e que vem mais tarde descobrir ter perdido o seu filho.
A relação inicialmente de amizade e mais tarde sexual é estabelecida entre ambos para, no final, Yong-hyun descobrir quem realmente é bem como a identidade daquela mulher com quem estabeleceu uma tão estranha relação.
Este filme vencedor de vários prémios e um dos mais aplaudidos da já referida edição do Fantasporto consegue ter como um dos seus principais trunfos a estrondosa atmosfera que recria naquele tão sinistro edifício. Primeiro pela sua localização geográfica que está muito perto do fantasmagórico e de seguida pelo aspecto decadente que possui que por um lado o torna num local intrigante como por outro num daqueles espaços onde ninguém conscientemente entra.
A isto podemos juntar uma história interessante mas que, a dada altura, percebemos qual o desfecho que irá ter pelo rumo que as duas histórias paralelas acabam por retratar. As nossas suspeitas, se bem que infundadas a maior parte do tempo, encaminham-nos para aquilo que recebemos no final. Existe um efeito surpresa, é verdade, mas não ao ponto de ser um sucesso absoluto.
As intepretações dos dois actores principais conseguem dentro da sua contenção (estamos a falar de cinema asiático portanto não será de espantar), emitir uma tal emotividade que não só nos deixa desconfortáveis como percebemos perfeitamente a quantidade de sentimentos e sensações reprimidas que os seus rostos escondem.
Apesar de não ser um fã incondicional deste tipo de cinema que acaba por não se assumir nem de terror, nem de fantástico nem tão pouco de drama, um facto é que consegue ao longo da sua pouco mais de hora e meia conter, e transmitir, uma sensação tensa e profundamente incomodativa pois damos por nós a pensar que a qualquer momento algo está prestes a explodir se bem que, na prática, não vamos ter nenhum desses momentos.
Interessante e dono de uma atmosfera inquietante este filme consegue surpreender-nos através do seu aspecto visual e de uma fotografia que lhe dão o seu "ar" macabro que culmina com o desfecho não surpreendente mas igualmente incomodativo.
.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário