quarta-feira, 18 de abril de 2012

Vallanzasca: Gli Angeli del Male (2010)

 .
Vallanzasca: Os Anjos do Mal de Michele Placido não só foi um dos filmes sensação em Itália no ano passado tendo inclusivé reunido várias nomeações aos David pela sua controversa história sobre Renato Vallanzasca, um assaltante de bancos que escapou várias vezes da autoridade, como foi também um dos mais antecipados da 5ª Festa do Cinema Italiano.
Este filme que contou com duas sessões, e que foi um dos mais disputados do certame, conta-nos a história de Renato Vallanzasca (Kim Rossi Stuart), um assaltante de bancos em Milão e das suas relações pessoas e "profissionais" levando-nos para o meio do seu gang e das relações de sobrevivência que estabeleceu nas suas inúmeras permanências na prisão.
Vallanzasca, fiel às suas relações mais próximas estabelecidas com Enzo (Filippo Timi) o irmão que nunca teve e em quem deposita toda a sua confiança, com Antonella (Paz Vega) a irmã que também nunca teve e por quem sempre nutriu uma paixão mais que fraterna, Consuelo (Valeria Solarino), a mulher com quem inicia família e Beppe (Paolo Mazzarelli) o homem com quem tem uma inicialmente tensa relação mas que acaba por ser um dos seus mais fortes aliados.
Neste filme acompanhamos as várias etapas do crime pelas quais Vallanzasca atravessa. Começando como um anónimo que aterroriza as ruas de Milão e que ascende vertiginosamente no mundo do crime, Vallanzasca tem uma igualmente meteórica ascenção mediática ao ponto de ter o seu próprio clube de fãs que por ele seriam capazes de fazer tudo. Mas Vallanzasca não se ficaria por aqui. Assistimos também às suas igualmente diversas detenções e fugas de e à polícia que contribuem para o mito e para a controvérsia que a sua figura gerou, ao ponto de muitos daqueles que lhe eram próximos enveredarem por um crime mais violento culpabilizando-o depois do que havia sido feito.
O argumento, baseado em factos verídicos, e escrito por Andrea Purgatori, Angelo Pasquini, Antonio Leotti, Toni Trupia, Andrea Leanza, Antonella D'Agostino, pelo próprio realizador Michele Placido e também pelo homem que dá corpo a Vallanzasca, Kim Rossi Stuart, não só é polémico pelas próximas relações entre o mundo do crime, a Mafia e a incapacidade de um sistema judicial de criminalizar e deter aquele homem, como consegue do princípio até ao fim manter-nos com uma atenção magnética a tudo o que se passa pelo nosso ecrã.
Não nos podemos esquecer, como é evidente, do fortíssimo elenco reunido por Michele Placido onde se destacam os actores já mencionados que são os pesos pesados do novo cinema italiano, Kim Rossi Stuart, Filippo Timi (que arrisco mais uma vez dizer que se assume como um dos mais intensos actores da actualidade) e Valeria Solarino, como também espanhol, Paz Vega, e alemão através da participação especial de Moritz Bleibtreu. Se os quatro primeiros actores são determinantes para toda a história, não deixa também de ser verdade que a dinâmica existente entre Kim Rossi Stuart e Filippo Timi é proporcionalmente inversa àquela existente entre Stuart e Mazzarelli. A proximidade existente entre os dois primeiros rapidamente se vai deteriorando graças ao consumo de estupefacientes de "Enzo", o que leva "Vallanzasca" a encontrar o mesmo tipo de apoio em "Beppe", aquele que sempre havia sido o seu inimigo. Se de início por uma questão de sobrevivência na prisão, não deixa também de ser verdade que a amizade entre estes dois vultos do crime nasce de forma espontânea em pouco tempo. São estas turbulentas relações que este grupo de actores consegue facilmente recriar e entregar-nos um retrato do que foi a época de terror e a vida destes homens, e no caso de Kim Rossi Stuart tendo levado inclusivé a nomeação ao David de Melhor Actor.
A glória e a decadência destes homens é assim acompanhada a uma velocidade vertiginosa que envolve crime, Mafia, assaltos, morte, perseguição automóvel e com as doses adequadas de drama que caracterizam o lado mais humano deste conjunto de indivíduos que arriscou levar a vida depressa demais... e através do crime como a forma mais fácil e "correcta" de alcançar os seus objectivos.
Dramático por vezes, cómico noutras tantas, este filme é do princípio ao fim uma experiência extramemente intensa que ninguém deve perder tanto pela qualidade da sua história como das suas interpretações.
.
.
9 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário