sábado, 5 de julho de 2014

The Gunfighter (2014)

.
The Gunfighter de Eric Kissack é uma curta-metragem de ficção norte-americana que num estilo muito próprio e uma comédia inteligente, entrega uns brevíssimos nove minutos de originalidade e inteligência desarmante.
Uma sarcástica e assumidamente provocadora narração (Nick Offerman) introduz as personagens desta comédia western. No entanto, todas as personagens aqui existentes têm a problemática vantagem de escutar tudo aquilo que esta refere sobre os seus pensamentos e intenções.
Quando no meio de um saloon onde todos têm algo a esconder a música se intensifica avisando de que algo está para acontecer, conseguirá algum deles sair daquele espaço com vida?
Kevin Tenglin escreve o inteligente, mordaz, sarcástico e por demais cómico argumento desta excelente curta-metragem que recuperando o tradicional filme western faz dele uma invulgar e improvável comédia com personagens que não deixam de ser tipificadas mas que, ao mesmo tempo, mostram o seu próprio toque de modernidade conquistando assim o espectador sem um (aparente) grande esforço.
Desmistificando os lugares comuns do género, Tenglin dá um toque pessoal a cada uma destas personagens que se fazem valer dos velhos preconceitos que o espectador tem sobre cada um deles mas, ao mesmo tempo, os coloca com questões actuais e um misto de sexualidade "imprópria" para a época e progressitas em relação à etnia - mas não em relação às mulheres - fazendo assim com que se jogue com as noções que temos do género de filme em questão enquanto conseguimos assim tirar o maior proveito de uma história que começa e termina no momento certo sem que, no entanto, não deixe uma réstia de esperança que pudesse ser muito mais explorado.
Shawn Parsons está genial como o cowboy forasteiro que chega a uma terra hóstil mas que revela no mais improvável dos locais a sua sensibilidade e paixão, e a música original de Paul Thomson recupera não só o tradicional filme western como lhe confere uma dimensão de comédia e thriller muito particular deixando todos em suspenso, espectadores e as próprias personagens.
Arriscaria dizer que estamos perante um trabalho originalmente irreverente... mas isso é pouco para a pura diversão com que entusiasticamente vemos este brilhante filme curto.
.
.
9 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário