sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Speechless (1994)

.
Sem Palavras de Ron Underwood conta com dois actores que, no ano da sua produção, estavam muito na moda: Michael Keaton que vivia então ainda a colher os frutos do seu Batman e Geena Davis que havia ganho há poucos anos um Oscar como Actriz Secundária e vivia também ainda o sucesso desse grande clássico que era Thelma & Louise.
Geena Davis, que aqui foi nomeada para o Globo de Ouro de Actriz em Comédia, interpreta Julia, uma mulher que elabora os discursos de um candidato político e que se apaixona por Kevin (Keaton) que tem a mesma profissão que ela mas... para o candidato rival.
Este filme usa um argumento já bastante visto e explorada e, em muitas situações, bem melhor do que aqui. Toda a história resume-se basicamente ao despertar da paixão entre estas duas personagens durante a campanha política que ambos exercem por candidatos diferentes.
Pelo caminho já sabemos o que sucede... Um conjunto extenso de mal entendidos típicos daqueles que sentem uma grande atracção um pelo outro e o questionar de se a paixão é verdadeira ou se não será apenas um esquema que "o outro" usa para saber informações escondidas, até ao ponto em que é escusado negar que aquilo que sentem um pelo outro é de facto real e forte demais.
Como disse... é uma fórmula que está extremamente gasta para se poder pensar que sobrevive sózinha sem mais nenhum "condimento" e aqui este aspecto é mais do que evidente. A própria química entre os dois actores protagonistas é quase nula limitando-se basicamente a representar aquilo que o guião lhes dita evidenciando assim que o filme está preso por uma linha muito fina.
Pouco mais há a dizer sobre este filme para além daquilo que já está dito. Aqueles que são fãs incondicionais de um destes actores podem achar este filme como algo mais interessante (por mim falo que gostei de rever Geena Davis num filme que não conhecia), mas o que é certo é que é bastante fraco para aquilo que estes dois actores em tempos remotos nos habituaram a ver de si.
Tal como o próprio título indica logo à partida... Sem Palavras...
.
3 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário