sábado, 18 de março de 2017

Beach 19 (2014)

.
Beach 19 de António da Silva é uma curta-metragem portuguesa documental sobre a praia nudista e gay mais conhecida do país - Praia 19 ou da Bela Vista.
Este documentário de António da Silva revela a dicotomia entre aquilo que é - praia para nudismo - e aquilo em que se transforma - uma praia de cruising homossexual - onde as formas e os comportamentos denunciam as intenções daqueles que nela se encontram. Dos encontros ocasionais àqueles já programados Beach 19 apresenta ao espectador todo um "mundo" de sexo casual, anónimo e descomprometido que homens, portugueses e não só - têm e que dele se servem como uma forma de descontracção e relaxe que, de outra forma, assumem silenciosamente não conseguir ter.
Dos rituais de observação aos pequenos códigos e comportamentos que se mesclam e que denunciam as intenções, Beach 19 tem apenas um som... o do mar ao fundo que ecoa por entra a mata na qual os corpos se confundem com a vegetação e apenas o tráfico visível faz perceber que o motivo principal daquelas "estadias" não seja necessariamente só pela praia per si.
Como todas as demais curtas-metragens de António da Silva, Beach 19 assume o seu lado voyeurista explícito não só na aproximação de realizador ao "objecto" de interesse e, por sua vez, do espectador que mais tarde irá visionar o seu filme, como também uma certa vertente exibicionista na medida em que muitos daqueles homens percebem e sabem que estão a ser filmados expondo-se (com o devido anonimato quando possível) à câmara em plena "caça" nas dunas.
Interessante o paralelismo estabelecido entre Homem e animal... entre mata e selva... que, no fundo, expõe a necessidade de cada um em entrar num jogo de caça onde presa e predador se fitam, fogem para o seu lugar de segurança (ou zona de conforto fora dos olhares de terceiros) e fazer consumar o seu desejo carnal sendo que, neste caso, este está expressamente condicionado pela luxúria mutuamente sentida.
Goste-se ou não do género, António da Silva filma algo que é ainda um assumido tabu levantando uma pertinente questão... sê-lo-ia assim tanto se em vez de dois homens fosse um casal heterossexual a encetar o mesmo tipo de comportamentos em espaços públicos? Até que ponto diverge este jogo de gato e do rato dependendo daqueles que o jogam?
Assim, e com a sua veia apurada para o exibicionismo versus voyeurismo, da Silva expõe os preliminares e o sexo tal e qual como eles são... independentemente dos seus intervenientes, da forma e meios onde o tentam e principalmente dos locais em que o tornam consumado.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário