sábado, 18 de março de 2017

Sucubus (2017)

.
Sucubus de Pedro Horta é uma curta-metragem portuguesa de terror com a interpretação protagonista a cargo de Sofia Reis.
Ele (Francisco Beatriz) foge. Mas algo o persegue.... Sucubus (Sofia Reis) ganha forma... Conseguirá ele fugir-lhe?
Sucubus inicia com uma citação... "Pode fugir excepto de algo que se esconde na escuridão". É com esta premissa que o espectador acompanha a fuga de um homem (Beatriz) que tenta a todo o custo fugir de algo que o atormenta. Sem nada à vista para lá de uma misteriosa névoa, cedo se percebe que nos encontramos perante uma história sobrenatural que opõe duas entidades rivais.
"Sucubus" (Sofia Reis) chega sob a forma de uma névoa. Uma névoa que ronda e que pretende "caçar" uma presa que poderá, futuramente, ser o fornecedor de vida às suas almas demoníacas (aqui, saber o historial de Sucubus é determinante), e ambos lutam numa batalha que só poderá ter um vencedor.
Muito ao estilo dos filmes de terror série B dos anos 80, Sucubus retira dos mesmos muita da sua energia e inspiração projectando uma história de suspense, o eterno sabor do jogo que opõe gato ao rato e ainda presenteia com alguns elementos do giallo italiano na medida em que centra a sua acção num espaço abandonado pela luz, subterrâneo onde não se distingue vítima ou agressor - é uma mera especulação de quem assiste - e os seus rostos estão claramente ocultados da total percepção do espectador entregando apenas breves apontamentos sobre o aspecto de "Sucubus" como, por exemplo, a sua figura feminina, a capacidade de voar e também a cabeça coroada com cornos que, de certa forma, induzem para o lado negro da história.
Dos efeitos especiais - também eles muito típicos dos filmes que se inserem numa série B e que são hoje assumidos clássicos - falta a Sucubus algum sumo sobre o antes e o depois destas duas personagens. Algo que conseguisse conferir ao espectador mais elementos e informações sobre como estas duas personagens se cruzaram e, de seguida, como se desenvolveu esta improvável relação (forçada) ou até mesmo que informações contém o livro que "Ele" levava e que misteriosamente desapareceu depois do confronto final.
De curtíssima curta-metragem a um interessante ensaio sobre uma história que poderia ser mais longa, Sucubus cumpre (um)a missão de homenagear um género e fazer despertar no espectador uma certa nostalgia pelas históricas longas-metragens do género onde nem sempre existe um lado bom e outro mau podendo, esta definição, sair turva no final das mesmas.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário