terça-feira, 15 de abril de 2014

Materia Oscura (2013)

.
Matéria Obscura de Massimo D'Anolfi e Martina Parenti é um documentário italiano que passou na secção Altre Visioni da sétima edição da Festa do Cinema Italiano que decorre até ao próximo dia 18 de Abril no Cinema São Jorge, em Lisboa.
Este documentário conta-nos algo que é muito bem resumido pela própria descrição de apresentação do mesmo... "a história de um local de guerra em tempo de paz". Filmado no Poligono Sperimentale del Salto di Quirra, na Sardegna, Materia Oscura relata-nos a história do local onde são eliminadas, desde a década de 50 do século passado, as reservas de armamento italiano bem como de outros países que para tal pagam além de ser o local escolhido para os ensaios de novos tipos de armamento perturbando de forma dramática não só a geografia do território como muito particularmente o estado de saúde daqueles que mais perto residem.
Com três olhares muito particulares observamos as transformações no local sob perspectivas bem distintas, ou seja, se por um lado observamos velhos vídeos de arquivo elaborados pelos governos que ali eliminaram o seu arsenal não deixamos de ter o olhar de um geólogo que analisa todas as transformações no terreno que levaram à esterelização do mesmo e ainda um mais real e sentido vindo de dois pastores que vivendo da terra e da sua exploração bem como do rendimento que lhes é fornecido pelos animais sentem a sua condição física ficar cada vez mais debilitada e ao aparecimento de doenças cancerígenas ou de má formação congénita.
Se esses dois primeiros olhares vindo das imagens de arquivo e dos estudos do geólogo são mais técnicos na sua interligação de causa e efeito, ou seja, o desgaste do qual o território tem sido alvo nas últimas seis décadas e por consequência os estudos efectuados pelo geólogo que comprovam que o mesmo se encontra estéril e com toda uma vida florestal ameaçada de forma irreparável, é no entanto o olhar mais pessoal e vindo daqueles que sofrem directamente com ele que se torna mais sentido e frágil.
Ao acompanharmos a vida de um desses pastores, somos levados a entrar na sua vida, no seu espaço e com isso verificar os problemas que tem sentido ao longo dos anos com os animais doentes e com más formações genéticas que acabam por falecer precocemente pelo envenenamento dos solos e das águas. Casos pouco pontuais dada a sua constante referência e dos quais somos alertados focando a sua, e nosa, atenção no caso de "Natalina", uma das suas vacas que no espaço de dez anos teve cerca de seis abortos espontâneos e consegue pela primera vez dar à luz um bezerro do qual o pastor tenta cuidar por ser considerado quase um milagre ter resistido e nascido.
Aos poucos acompanhamos a luta pela sobrevivência deste pequeno animal que se por um lado nos faz sorrir com a sua tímida tentativa de descoberta de um mundo muito pequeno, mas que por outro lado nos é dada a perceber que essa exploração será de curta duração e que a sua desistência prenuncia um trágico fim que chegará muito rapidamente perpetuando uma constante incidências de má formação e morte precoce em todos os seres que ousam nascer naquele território de terra e água envenenada.
Sem se manter muito técnico e conseguindo equilibrar a parte humana muito harmoniosamente ao longo da sua duração, Materia Oscura nunca se torna num documentário monótono pois consegue unir todas as vertentes necessárias para que o espectador se mantenha atento a um desfecho que é, de certa forma, esperado. Recebemos as informações técnicas necessárias para que a parte humana seja a que denota mais valor, afinal não é de "todos nós" que se pretende saber? Queremos perceber o porquê da vida estar ali condenada logo à nascença tornando toda a luta pela mesma uma tarefa inglória que apenas se mantém pela esperança que não existe.
Anolfi e Parenti conseguem assim transformar todo um documentário onde os diálogos são praticamente nulos excepto para nos darem a conhecer que este cenário potencialmente natural e paradisíaco mais não é do que um local de morte... onde ela existe e se mantém presente à espera de colher o próximo sem piedade e numa total indiferença por parte de quem poderia realmente intervir mas que se deixou levar pelo poder do dinheiro que não cessa de encher os cofres mais sedentos.
Silenciosamente avassalador, Materia Oscura fez com que a sala 3 do Cinema São Jorge permanecesse em silêncio até ao final dos créditos de onde todos saíram, certamente, bastante impressionados.
.
.
8 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário