terça-feira, 8 de abril de 2014

Nerd vs. Swag (2014)

.
Nerd vs. Swag de Ricardo Fonseca é uma curta-metragem portuguesa de comédia que pretende fazer um retrato humorístico de dois grupos distintos da juventude/adolescência. Por um lado temos os ditos "nerd", que no calão português todos nós conhecemos como "cromos", aqueles tipos marrões que no secundário tinham a mania que sabia de tudo e mais do que todos os outros. Por sua vez como numa posição quase antagónica temos os agora denominados "swag", os tipos que pensam que têm pinta e que todos querem ser como eles e que fazem da sua matéria de "estudo" atormentar os anteriormente referidos.
Esqueçamos o verdadeiro significado do termo "swag" pois se o começasse a decifrar aqueles que se julgam com muita "pinta" possivelmente arrepender-se-iam de querer uma qualquer identificação com o mesmo (ou talvez não), e concentremo-nos apenas no filme em si e na sua execução que, numa palavra, é fraco.
O argumento cuja autoria aparece identificado enquanto Ascending Makers, centra a sua atenção num aspecto bem actual e que seria de interessante debate como é o caso do bullying mas, no entanto, toda a direcção desta curta-metragem remete a sua dinâmica para uma vertente mais cómica e espalhafatosa do que propriamente algo mais sério e que, ainda assim, poderia ter os seus momentos de descontracção que conseguisse fidelizar um conjunto de fãs pela sua mensagem. Neste caso os fãs irão existir mas suspeito que não pelos melhores motivos.
Tecnicamente, e ainda que seja uma curta-metragem feita pelo que percebo como um projecto escolar, poderia ter sido mais aprimorada e resolver alguns problemas como o tratamento de imagem, anulação de brilhos que quase criam pontos brancos em alguns segmentos de exterior, assim como um melhor cuidado no som, na movimentação de câmara, a edição na passagem dos diferentes planos precisaria também de um maior cuidado para resolver esta transição de forma mais natural e, finalmente numa melhor direcção dos actores (ainda que amadores) para remover certos tiques como o olhar para a câmara ou o debitar de texto como se estivesse programado ao contrário do espontâneo que se pretende. Como aspecto francamente negativo está no segmento final quando se propõem a realizar um jogo para testar os conhecimentos de cultura geral existir todo um bloco de pergunta e respectivas respostas que é colocado quase a toda o ecrã eliminando as personagens que são onde deveria estar a atenção do espectador.
Aspectos positivos, também há que os apontar, centram-se essencialmente na manutenção de uma identidade cultural que preserva os sotaques da região norte (felizmente alguns jovens amadores que aparecem a retratar as suas próprias ideias em filme tendem a manter esta herança e não optar por um português dito "uniforme"), assim como o flashback em que os dois "nerd" reflectem sobre a sua amizade e que, justiça seja feita, provocam um pequeno sorriso.
No essencial a ideia pode existir e é de louvar que a tenham conseguido pôr em prática bem como o aparente apoio da entidade escolar que lhes facultou os meios mas, no final, os resultados poderiam ter sido melhores e mais bem tratados.
.
.
1 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário