terça-feira, 16 de março de 2010

Path of Destruction (2005)

Caminho de Destruição de Stephen Furst não conta com a participação de nenhum actor que se possa conhecido, à excepção de David Keith para aqueles que se lembram ou viram uma glória do início dos anos 80 chamada Oficial e Cavalheiro.
Dito isto, avançando para o filme... Uma experiência corre mal numa plataforma petrolífera e o que daí emana é uma tempestade que ameaça arrasar com o mundo, cidade após cidade, por onde passa.
Muitos pseudo-edeitos especiais que resultam na sua totalidade MAL, muitas sequências onde os actores são meros peões de maus cenários gerados em computador, dos quais nos apercebemos claramente que onde eles se encontram não é rua nem é nada. Destruição de cidades em que mais parece um programa de paint a apagar as imagens e... muitos gritos.
Temos conspirações internacionais, temos industriais megalómanos, temos mortos, temos feridos, temos cidades arrasadas, temos as pseudo-terroristas, and so on...
O ideal para um filme de destruição ficcionada que resulta geralmente mal, que conta com interpretações más, um mau argumento, e um ou dois cromos de serviço que pensam esta a dizer piadolas com graça mas que na realidade só afundam ainda mais aquilo que já não consegue ver a luz do dia.
Nada, mas absolutamente nada, safa este filme que é do início até ao final uma nulidade absoluta sob todas as perspectivas e que, a única coisa positiva que deve ter tido na sua existência foi este comentário negativo!
.
1 / 10

Sem comentários:

Publicar um comentário