quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Volki i Ovtsy. Beeezumnoe Prevrashchenie (2016)

.
Ovelhas e Lobos de Andrey Galat e Maxim Volkov é uma longa-metragem russa de animação que, num mundo mágico, ovelhas e lobos vivem harmoniosamente nas suas respectivas comunidades. No entanto, no momento em que existe uma crise de liderança na comunidade dos lobos, Grey (voz de Alexander Petrov) quer disputar a liderança do grupo contra o implacável e violento Ragear (voz de Andrey Barkhudarov). No entanto, é quando tenta mudar de comportamento e assumir-se como o macho alfa que Bianca (voz de Elizaveta Boyarskaya) procura que Grey toma uma poção que o transforma... num carneiro.
Volki i Ovtsy. Beeezumnoe Prevrashchenie é desde cedo um típico filme de animação feito propositadamente para deixar a mensagem moralista para o seu público - assumidamente mais infantil - e prestar-se como um conto tradicional (ou popular) europeu. Aqui encontramos dois clãs rivais que, no entanto, vivem numa próxima indiferença entre si. Por um lado as ovelhas e carneiros que vivem num clima pacífico e afastado de todos os problemas que apenas rivaliza com uma quase constante luta de poder entre os lobos que (sobre)vivem num ambiente de subsistência extrema... apenas existe aquilo que necessitam para viver mais um dia. Se o primeiro grupo atravessa uma fase em que nada parece afectá-los já os últimos, no entanto, experimentam dias de convulsão e alterações que podem definir o seu futuro.
É neste ambiente que tanto lobos como ovelhas - inteligente recurso a dois animais característicos do conto popular russo para contar uma história que é, no fundo, universal - se preparam para uma invulgar alteração de papéis na medida em que uns tradicionalmente violentos irão encontrar uma harmonia com os seus vizinhos que, por sua vez, terão de enfrentar as duras realidades da vida e prepararem-se para uma defesa de um ataque porvir.
Em Volki i Ovtsy. Beeezumnoe Prevrashchenie não são só os lobos e as ovelhas que se assumem como elementos característicos do conto popular russo - ou até mesmo daquele de toda a Europa de Leste - mas também pequenos elementos que se observam através de toda esta história como a rudeza de lobos e simplicidade das ovelhas, os ambientes naturais em que ambos os grupos vivem bem como o tradicional coelho vulgarmente associado à capacidade de se esquivar de situações mais adversas aqui directamente ligado à etnia cigana, por ser assumido como um animal errante, com poucas ligações à terra em que habita e, como tal, predisposto a uma viagem constante.
Das lutas de poder à afirmação enquanto elemento condutor de todo um povo - ou comunidade... ou grupo de animais -, sem esquecer a mensagem de que apenas pela glorificação do "eu" e de todas as suas diferenças individuais, Volki i Ovtsy. Beeezumnoe Prevrashchenie assume-se como uma história quase inocente pela forma como apela a valores morais maiores (como todo o bom filme de animação), onde o mal tenta conquistar terreno pelas fraquezas dos de bem que tardam em fazer-lhe frente mas que, ao assumirem a sua individualidade, conquistam não só o seu espaço num local em que partem de uma posição de desvantagem como, em último lugar, suportam também toda a admiração de uma comunidade que, lentamente conquistaram e assumiram como sendo sua.
As expectativas a respeito desta longa-metragem não se prendem tanto como a história que, em boa medida, não diverge de tantas outras do mesmo género mas sim pelo potencial desconhecido ao surgir de uma área geográfica com pouca tradição na animação - pelo menos para o mercado internacional - e que aqui recorre de forma inteligente a elementos do seu folclore popular para compôr uma história que poderá ser consumida em qualquer parte do mundo. Afinal, se o espectador retirar alguns dos elementos tradicionalmente russos e aqui observar esta longa-metragem como algo indiferenciado... não estará a sua mensagem ao seu alcance fale que idioma falar?
Simpática, divertida e até mesmo inteligentemente delineada, Volki i Ovtsy. Beeezumnoe Prevrashchenie é o filme de animação do início do ano. Não saberemos se irá ser recordado muito para além deste período... mas aqueles que o forem ver terão certamente uma agradável surpresa pela sua boa disposição e concepção.
.

.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário