segunda-feira, 11 de março de 2013

The Boy and the Moon (2012)

.
The Boy and the Moon de Rino Alaimo é uma extraordinária e emocionante curta-metragem de animação italiana e um dos mais sensíveis e bem executados filmes do género que vi nos últimos largos tempos.
Numa noite de Junho em que todas as luzes se apagam, um rapaz apaixona-se pela lua que irradia um brilho contagiante, e tenta assim conquistar o seu amor através das mais desafiantes aventuras e presentes que podem ser não só recusados como punidos (e ficamos aqui a saber o porquê dos lobos uivarem à Lua).
O belíssimo argumento, também da autoria de Rino Alaimo, é uma magnífica história de amor, de conquista e de paixão que, por entre caminhos difíceis e tortuosos de atravessar, pela persistência e genuinidade dos sentimentos revela que existe uma porta para um futuro risonho, simbólico e de conquista sentimental e afectiva.
É esta mesma viagem que transborda uma sentida emotividade e da qual não nos conseguimos afastar que a curta-metragem de pouco mais de cinco minutos deste jovem realizador italiano nos fala. Desde o primeiro instante que nos sentimos presos a este extraordinário conto sobre uma viagem inimaginável feita por um rapaz apaixonado pela Lua e que pretende conquistá-la com as mais diversas batalhas e presentes valiosos. Mas o amor, verdadeiro e sentido, não se deixa "comprar". A metafórica Lua (como mais tarde viremos a descobrir) não se fascina pela opulência de bens e valores que, independentemente de provenientes das mais diversas e exóticas localizações, para ela pouco valor têm.
É a beleza da cor (das cores), do sentimento e da vontade de partilhar a dois um momento especial e que nunca fora visto, que nasce o amor. O verdadeiro amor. Aquele proveniente da vontade de se ver o outro feliz, maravilhado e deslumbrado com um presente que não sendo material e físico, contém a essência do espírito humano "personificado" no afecto.
Narrado por Timothy Block e com uma sensível e emotiva música original de Stefano Barone que conquista de imediato o coração do espectador mais "desatento" (é impossível sê-lo aviso desde já), esta curta-metragem revela ser um dos mais interessantes e bem sucedidos filmes que vi nos últimos tempos. Livre de artifícios mas repleto de uma sensibilidade extraordinária com a qual qualquer um de nós se poderá facilmente identificar, The Boy and the Moon é um vencedor inato.
Um magnífico, sensível e emocionante filme que aqui aparece pelas mãos de um realizador de quem iremos ouvir muito falar e que é seguramente um dos valores para o futuro do cinema Europeu.
.
.
"Narrator: He gave her all the beauty of the colors of the day."
10 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário