sábado, 9 de abril de 2016

4th Man Out (2015)

.
4th Man Out de Andrew Nackman é uma longa-metragem norte-americana que conta a história de Adam (Evan Todd) que no dia em que completa o seu vigésimo-quarto aniversário resolve contar aos seus amigos de infância que é homossexual.
Incerto sobre as suas reacções bem como com a da sua família, a coragem de Adam vai sendo sucessivamente abalada até que espontaneamente revela tudo a Chris (Parker Young), Nick (Chord Overstreet) e Ortu (Jon Gabrus) alterando drasticamente as suas vidas.
A longa-metragem de Nackman com base num argumento de Aaron Dancik assume-se como uma simpática e divertida história onde para lá de qualquer noção ou ideal de romantismo se centra nos importantes laços de amizade que são estabelecidos ao longo de uma vida entre um grupo de amigos. É apenas com a chegada de uma inesperada notícia que a dinâmica de grupo é perturbada e se sentem abaladas as estruturas de uma amizade de largos anos. No entanto, considerando que esta mesma notícia acaba por transformar radicalmente as vidas de todos os envolvidos, o espectador percebe que finalmente todos eles abandonaram a juventude e alguma (ir)responsabilidade que lhes era inerente para finalmente poderem abraçar a tão (in)desejada "idade adulta".
A revelação da homossexualidade de "Adam" mais não poderia ser do que uma assumida surpresa por parte dos outros elementos do grupo. Se inicialmente todos a tomam como algo de novo e improvável dado um passado pseudo-mulherengo do mesmo, não deixa de ser verdade que aos poucos é esta mesma notícia que os leva a ter um pouco mais de curiosidade para com a vida do amigo que, percebem, ter sido constituída de alguns segredos e muitos silêncios no seu passado. Segredos e silêncios estes que, longe de prejudiciais para o grupo, não deixam de revelar que existe toda uma "nova pessoa" que precisa ser conhecida e descoberta. Afinal... quem é "Adam" quando fora do grupo? Se "Chris" toma esta revelação como toda uma nova oportunidade para descobrir "Adam" - com quem mantém uma amizade mais próxima dentro do próprio grupo - "Nick" encontra nesta revelação uma oportunidade para descobrir mais sobre toda uma sexualidade enquanto "Ortu" se transforma naquele que amadurece e descobre que existe muito mais sobre si próprio do que a imagem pode inicialmente transmitir.
No fundo, aquilo que 4th Man Out acaba por revelar ao espectador é que para lá das noções pré-concebidas que todos acabam por ter sobre o "outro" - sejam elas sociais, sexuais, culturais, económicas ou psicológicas - não deixa de ser interessante como dentro de um grupo que se conhece há largos anos existem sempre pequenos elementos que escapam do nosso domínio... da nossa curiosidade e claro, do nosso conhecimento. Pequenas coisas que definem um todo, que formam os vários elementos desse mesmo grupo, que os caracterizam e lhes conferem a real dimensão da sua personalidade mas que por receio - ou até mesmo medo - por insegurança, incerteza ou alguma timidez, acabam por ser escondidos, abafados, adulterados e até mesmo negados. Mas no final existe o triunfo de algo maior... a celebração de vidas partilhadas, de amores sofridos, de aventuras nunca reveladas, de momentos que todos irão recordar um dia mais tarde e que serão as suas memórias e também aquelas situações que todos eles percebem constituírem a parte mais importante da sua amizade.
Com os ocasionais lugares comuns que acabam por estar sempre presentes no género nomeadamente o "online dating" que reafirma que nem sempre se deve confiar naquilo que se conhece nas redes sociais ou mesmo os comportamentos "tipo" que se esperam de algumas das personagens, 4th Man Out acaba por ser mais importante pela crítica social que estabelece não só ao americano típico como principalmente alerta para aquilo que se espera de uma sociedade moderna, evoluída e onde - dare to dream - o preconceito ficou do lado de fora da porta, afinal... "today we are all americans".
Com quatro interpretações que se complementam pelas suas diferenças - afinal, não são assim todos os grupos de amigos?! - alguns momentos bem delirantes e que celebram o verdadeiro significado de amizade - o convívio no bar gay ou mesmo o mise en scène de alguns pré-conceitos - bem como inocente quanto baste em alguns dos seus sonhos - irrealista talvez? - 4th Man Out é bem disposto e humorado o suficiente para ser uma experiência cinematográfica ligeira e interessante assumindo-se, no final, como um filme que pretende celebrar a amizade e todas aquelas pequenas diferenças que todos os amigos - aqui bem como os nossos - têm, e que constituem aquilo que nos faz essencialmente gostar e confiar neles.
.

.
7 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário