sexta-feira, 22 de julho de 2016

Limbo (2015)

.
Limbo de Luizo Vega é uma curta-metragem experimental francesa onde quatro performers - Staiv Gentis, Arthur Gillet, Golan Yosef e Luizo Vega - interpretam de acordo com as suas bases "representativas" momentos não coreografados de uma expressão corporal livre com o fim último de um êxtase natural.
Da dança ao desporto sem esquecer o teatro como base fundamental da representação que todos tentam transmitir através da sua performance, Limbo capta a essência da exaltação ou êxtase animal existente dentro de cada um. Ao ritmo de um conjunto de movimentos expressivos, que aparentemente não coreografados exibem uma coordenada naturalidade, esta curta-metragem pretende mostrar o lado mais selvagem do Homem enquanto um animal socializado mas que no seu próprio universo é tão ou mais selvagem do que aquele que permaneceu inalterado durante os tempos. Sem qualquer privação da sua própria individualidade, estes homens transformam-se - ainda que por momentos - no tal ser marginal que vive num limbo entre o mundo que o "normalizou" perante os demais, e aquele espaço privado e interior onde todos os seus instintos mais primários continuam a existir.
Violento e por vezes descontrolado, Limbo é um interessante registo sobre aquele preciso momento em que, sem perceber, o Homem se deixa levar pelos seus impulsos mais primários e selvagens.
.
.
6 / 10
.

Sem comentários:

Publicar um comentário