sexta-feira, 22 de julho de 2016

Pele de Pássaro (2015)

.
Pele de Pássaro de Clara Peltier é um documentário em formato de curta-metragem brasileiro que fez parte da secção competitiva da primeira sessão do Shortcutz Rio de Janeiro.
Tuane Rocha é uma bailarina. Presa a uma casa com grandes sonhos de e sobre o mundo, Tuane dá todo um novo sentido à sua vida - para lá das favelas - quando dá corpo e vida às interpretações artísticas que faz com factos brilhantes que a transformam noutra pessoa.
Se o espectador inicialmente pensa que está perante um "filme de Carnaval", as "certezas" cedo desaparecem quando Pele de Pássaro se afirma como um sentido e honesto retrato de uma vida que, como tantas outras, se perde em sonhos aparentemente grandes demais e viagens nunca executadas mas que, no entanto, persistem no imaginário daqueles que sentem e ousam pertencer a outro lugar que não aquele em que se encontram.
A realizadora e argumentista Clara Peltier filma então este olhar honesto e simples de uma mulher: Tuane. Do interior da sua humilde casa onde são filmados de forma mais ou menos ingénua aquelas inúmeras marcas de locais dos quais apenas ouvir falar - Paris, Londres, Moscovo... - e que o espectador percebe serem sonhos que um dia sonhou e com uma vivência familiar que a aproximam de tantas outras mulheres que têm a já referida casa e uma família da qual tratar, até ao "boneco" que veste nos inúmeros desfiles carnavalescos ou eventos que anima como casamentos, festas e eventos para os quais é convidada e que se assumem como o seu "ganha pão" e sustento que agradece de forma sentida, Tuane é uma mulher que se deixou eclipsar mantendo os sonhos mas perdendo (eventualmente) a convicção de que alguma vez se encontrará em todos aqueles lugares.
Da sua casa humilde numa qualquer favela a luxuosos hóteis em que se prepara para ser a próxima atracção de uma qualquer festa, Tuane revela também o seu outro lado... Aquele em que longe das luzes, do brilho, da cor e da agitação de uma vida encenada mostra o poder de uma caracterização inexistente que dá lugar a uma mulher igual a tantas outras com uma vida normal e uma existência que se dissipa na multidão.
De uma honestidade extrema que exemplifica os dois lados de uma vida - e de um mundo - onde por um lado se dá cor ao sonho e ao poder da imaginação e por outra se sente a realidade diária de uma vida com expectativas e onde os sonhos não passam disso mesmo, Pele de Pássaro é um sentido e por vezes também emotivo registo da diferença que os separa.
.
7 / 10
.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário